Segunda-feira, 20.06.11

Património Louletano (V) - O edifício dos Paços do Concelho

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hove a marafada volta a falar do património louletano e escolheu escrever um bocadinho sobre o edifício dos Paços do Concelho, vulgo Câmara Municipal de Loulé.

 

Assim sendo:

 

Segundo Ataíde Oliveira a Câmara Municipal de Loulé terá estado situada em três lugares diferentes até à sua localização actual: o primeiro, num prédio onde Manuel dos Santos Gallo mandou construir uma cocheira, em frente à cadeia; o segundo, num prédio ao fundo da praça; o terceiro, a sala, junto ao tribunal judicial no Convento Espírito Santo.

O actual edifício da Câmara Municipal de Loulé trata-se de uma construção da primeira metade do século XIX, erguida pelo capitão de Milícias José Rafael Pinto, para aí residir.

A construção deste edifício, que inicialmente confinava pelo sul com um troço da Travessa do Lagar Velho a qual desembocava na Rua do Postigo (actual Rua 9 de Abrli), implicou a destruição de parte do pano da Muralha que corria de nascente para poente.

Em 1842, José Rafael Pinto requereu à Câmara Municipal permissão para englobar no seu prédio aumentando-o o referido troço da Travessa. O requerente comprometeu-se por sua vez a abrir uma passagem, por meio de um túnel, sob o seu prédio em direcção à Praça (actualmente Praça da República) mandando ainda rebocar à sua custa uma Torre da Muralha, sobre a qual se havia erguido uma cúpula para abrigo do relógio público.

A Câmara deferiu o pedido e surgiu a Travessa do Relógio, hoje Rua do Município.

Por falecimento do Capitão José Rafael Pinto herdou este prédio a sua filha, casada com José Cândido de Andrade, residente em Lisboa, que decidiu vender a casa.

A Câmara Municipal e a Vereação da mesma, composta por António Vaz de Mascarenhas, Francisco da Paula Galvão, Joaquim Filipe D´Aragão Valladares, José de Sousa Faísca, Luíz de Albuquerque Rebelo e João Rodrigues Mealha, na Sessão de 2 de Abril de 1884, resolveu adquirir o referido prédio tendo em conta que este estava implantado na então melhor artéria da cidade e a sua dimensão permitia albergar não só a Câmara como outras repartições. A casa foi comprada pela Câmara por 4.800$00 tendo a mesma de contrair um empréstimo para proceder ao pagamento do montante. Nessa altura a Câmara Municipal estava alojada em parte do Convento Espírito Santo, sendo que logo que este convento ficou devoluto o Administrador do Concelho de Loulé tomou conta das chaves e ali se instalou a Câmara e o tribunal Judicial. Esta ocupação foi contestada pelo Estado e só em 7 de Abril de 1861 a Câmara obteve a cedência, a título definitivo, do convento constituída pelos claustros, com exclusão das Celas e mais dependências da ala nascente e sul, tanto do piso superior como inferior.

Na mesma sessão foi decidida a expropriação ou aquisição de um armazém pertencente a José da Costa Mealha, situado no primeiro piso do prédio em questão e do lado poente. No entanto, o armazém não chegou a ser adquirido e José da Costa Mealha aí manteve o seu comércio de palma e esparto, comércio continuado pela sua viúva e por Artur Gomes Pablos. Em data incerta, a Câmara alugou o referido armazém e aí instalou a Tesouraria de Finanças e, depois, o alojamento de praças da G.N.R. Posteriormente, foi então comprado pela Câmara Municipal.

A partir de 1885, no primeiro andar do edifício, funcionaram a Câmara Municipal, a Administração do Concelho e a Repartição de Finanças. Em data muito posterior, nesse andar esteve situado a Repartição do Registo Civil.

O primeiro piso, do lado nascente, foi ocupado por uma esquadra de Polícia Cívica e depois pela G.N.R. No mesmo piso com frente para a Praça, foi alugada uma parte do prédio pela quantia de 4.000 reis mensais, a Manoel Fernandes Guerreiro, para instalação de uma mercearia.

Na outra parte, ou seja, numa divisão com frente para a Praça da República, funcionou durante largos anos, por cedência da Câmara, a Agência da Caixa Geral de Depósitos.

Alguns meses após a Implantação da República, em Fevereiro de 1911, a Comissão Municipal decidiu melhorar as instalações da Câmara e renovar o mobiliário do Salão Nobre, para o qual encomendou mesas e cadeiras idênticas às da Assembleia da República, e um estrado, tendo sido levadas a cabo, no ano seguinte, as obras de restauro dos soalhos, portas, janelas e foi feito um estudo visando a ampliação do edifício. Parte do referido mobiliário pode ser hoje visitado na Alcadaria do Castelo de Loulé.

O edifício conservou durante anos a sua traça primitiva. Em 1942, foi o seu interior remodelado e a fachada alterada, dividindo-se o balcão em diversas janelas, sob projecto do Arquitecto Inácio Peres Fernandes.

Actualmente hospeda a maioria dos serviços municipais, que se estendem pelas diversas zonas do edifício.

 

Nota:

 

1. A informação aqui apresentada foi retirada da obra "Monografia do Concelho de Loulé" de Ataíde Oliveira, de um texto da autoria do Eng.º Luís Guerreiro e ainda da obra "Loulé no século XX" de Isilda Maria Renda Martins.

Rabiscado por Lígia Laginha às 09:17 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Sexta-feira, 17.06.11

Presidentes da Câmara Municipal de Loulé (II) - Manuel Lourenço Teixeira Faísca

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje voltamos aqueles que em dada altura presidiram a nossa autarquia e cujas acções foram importantes para aquilo que Loulé é hoje enquanto Cidade e Concelho.

Falemos então de Manuel Lourenço Teixeira Faísca:

 

Manuel Lourenço Teixeira Faísca nasceu na freguesia de S. Clemente em 31 de Janeiro de 1929.

Fez o ensino primário na Escola Conde Ferreira em Loulé, frequentou o Liceu Nacional de Faro e concluiu o curso de Engenharia de Minas no I.S.T. em 1958.

O Eng. Manuel Lourenço Teixeira Faísca exerceu a profissão em Angola nos Serviços de Geologia e Minas e na Companhia do Manganês de Angola, no início dos anos 60. Passou ainda pela Beralt Tin & Volfram (Minas da Panasqueira) de 1966 a 1969, pelas Minas do Lousal de 1969 a 1971 e pelos Caminhos-de-Ferro Portugueses de 1971 a 1973.

Ocupou o cargo de Presidente da Câmara Municipal de Loulé entre 19 de Abril de 1973 e Maio de 1974.

Durante o seu mandato debateu-se a definição das freguesias de Almancil, do Concelho de Loulé, e de Santa Bárbara de Nexe e S. Pedro, do Conselho de Faro. Em Quarteira e Vilamoura realizaram-se projectos de urbanização e de infra-estruturas e, em Loulé, iniciou-se o plano de urbanização e de expansão Nordeste. 

Faleceu a 26 de Setembro de 2009.

 

Nota:

 

1. E isto é o pouco que a marafada louletana conseguiu apurar sobre este ilustre Louletano que ocupou a presidência da Câmara Municipal de Loulé até bem perto do 25 de Abril de 1974. 

 

2. Na falta de uma fotografia de Manuel Lourenço Teixeira Faísca optei por colocar uma do edifício dos Paços do Concelho por ser nele que os presidentes de Câmara exercem a sua actividade enquanto tal.


Rabiscado por Lígia Laginha às 08:25 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Segunda-feira, 06.06.11

Gala do Desporto Loulé Concelho

 

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje, dia 6 de Junho, pelas 21h00, no Cine-Teatro Louletano, irá ter lugar a Gala do Desporto de Loulé.

 

Trata-se de um evento que pretende premiar os atletas e clubes do Concelho de Loulé que se distinguiram no panorama desportivo nacional. A apresentação da Gala vai estar a cargo do jornalista Neto Gomes e da actriz louletana Victória Guerra.

 

Loulé, o maior município algarvio, tem uma forte dinâmica desportiva, contando com mais de 23 modalidades, distribuídas pelas 49 associações existentes, 36 das quais com contratos-programa com a Autarquia. São mais de 6000 os atletas federados que diariamente se dedicam à prática desportiva.

 

A Câmara Municipal de Loulé tem sido a principal entidade dinamizadora do desporto concelhio, através do apoio financeiro aos clubes com a celebração de contratos-programa anuais, mas também pela criação das infra-estruturas modernas que permitem aos atletas tirar o melhor partido do seu rendimento e, aos espectadores, usufruírem dos espectáculos, nas melhores condições.

 

Nota:

 

1. A marafada recomenda esta Gala aos amantes do desporto.

 

Rabiscado por Lígia Laginha às 09:06 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Quarta-feira, 04.05.11

Apoio à Universidade Sénior de Loulé

 

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje o post da marafada é mais um copy past a partir do jornal "Região Sul" que dá conta do apoio prestado pela Câmara Municipal de Loulé à Universidade Sénior da nossa santa terrinha. Uma iniciativa louvável porque nunca é tarde para aprender.

 

 
"A Câmara Municipal de Loulé vai celebrar um protocolo anual com a Associação dos Amigos do Alentejo, através do qual será atribuída uma verba de 8500 euros a esta instituição, destinada ao funcionamento da Universidade Sénior de Loulé. 

Este montante visa assegurar o funcionamento da universidade, nomeadamente a manutenção do mobiliário didático, apoio administrativo de secretariado, renda da casa, entre outras despesas correntes, informou a autarquia, em comunicado. 

Por outro lado, a Associação colaborará com a divisão de Gestão Social e Saúde e a equipa de projeto para a sustentabilidade do município de Loulé no desenvolvimento das atividades do Banco Local de Voluntariado, Projeto das Cidades Amigas das Pessoas Idosas, Loulé Cidade Educadora, entre outras. 

A Associação dos Amigos do Alentejo é uma instituição de carácter social e cultural que, através da manutenção da Universidade Sénior de Loulé, pretende contribuir para a manutenção da sua sede, organização dos cursos e dinamização da promoção de cursos adequados no âmbito da formação e da cultura, nomeadamente na realização de aulas práticas e teóricas em diferentes matérias, Grupo de Canto Coral e Grupo de Teatro."

Rabiscado por Lígia Laginha às 08:03 link do post | Comentar | Marafações predilectas

pesquisar

 

Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
17
21
26
27
28
29
30

últimos comentários

  • Bom dia ou boa tarde eu fiquei curiosa de saber o ...
  • As conquilhas não se metem em água com sal, metem-...
  • Está tudo bem explicado ,mas faltou falar de um as...
  • Ora andava na net a pesquisar uma receita das noss...
  • Muito boa tarde.Gosto muito do seu trabalho.Hoje e...
  • Parabéns pelo artigo...Foi editado em 2010 pela Câ...
  • olá viva,adoro a alcofa redonda. Será k posso ter ...
  • Um dos meus bisavôs teve uma dessas indústrias de ...
  • Tão lindo, tudo caiado, branquinho ! Pena que est...
  • Cara Lígia,Tomei a liberdade de utilizar esta sua ...

As marafações passadas de validade