Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marafações de uma Louletana

Blog sobre Loulé e as suas gentes

Blog sobre Loulé e as suas gentes

Marafações de uma Louletana

21
Jun11

O que os algarvios comem (VI) - Arjamolho

Lígia Laginha

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje a marafada decidiu voltar à paparoca e traz-vos um dos pratos que os algarvios mais comem nesta época quente: o Arjamolho. Também conhecido por gaspacho ou sopas frias, o arjamolho é confeccionado e comido um pouco por todo o Algarve e é um excelente acompanhamento para as sardinhas assadas.

O arjamolho é mais um prato de grande simplicidade que conquista aqueles que vêm de fora e o provam.

 

Então aqui fica a receita:

 

Ingredientes:

Para 4 pessoas

  • 300 grs de tomates maduros ;
  • 3 dentes de alho ;
  • 1 pimento verde ;
  • 1 dl de azeite ;
  • 2 cls de vinagre ;
  • 200 grs de pão caseiro duro ;
  • oregãos q.b. ;
  • sal grosso q.b.

Confecção:

Descasque os dentes de alho e pise com sal. Tire os pés aos tomates, escalde estes em água a ferver, retire a pele e limp de sementes. Corte em dados pequenos. Limpe o pimento e corte, também, em dados pequenos.
Num recipiente, deite o azeite, os oregãos, água fria e o vinagre. Junte os dentes de alho, o sal e os tomates. Corte o pão em fatias pequenas e adicione.
Mexa e sirva bem frio.

 

Nota:

 

1. Há ainda quem adicione pepino ou cebola ao arjamolho e quem não lhe coloque pimento. Todas estas vertentes são saborosas de igual modo. A marafada deixa a dica de que o pão deve estar bem duro e ser cortado em bocadinhos pequeninos.

 

2. Quem nunca provou experimente que é de comer e chorar por mais.

 

14
Jun11

o que os algarvios comem (V) - Cataplana de Amêijoas

Lígia Laginha

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje este blog marafado regressa à rúbrica "O que os algarvios comem" e a marafada seleccionou esse prato fantástico que é a Cataplana de Amêijoas. Como toda a gente sabe a costa algarvia é rica em bivalves e as amêijoas não são excepção. Assim sendo, a nossa gastronomia é rica neste tipo de alimento e com ele confeccionamos os mais variados acepipes. Então aqui fica a receita de hoje:

 

CATAPLANA DE AMÊIJOAS

 

Ingredientes:

 

1 kg de Amêijoas;

800g Carne de Porco;

500g Camarão;

200g Presunto sem Sal;

100g Toucinho Entremeado;

1 Chouriço Pequeno de Carne;

1 Copo de Vinho Tinto;

1,5dl Azeite;

2 Cebolas;

2 Colheres de Sopa de Banha;

2 Colheres de Sopa de Colorau Doce;

1 Molhinho de Salsa;

1 Molhinho de Coentros;
3 Dentes de Alho;

1 Folha de Louro;

Sal q.b.;

Piripiri q.b.


Preparação


Lavam-se as amêijoas e põem-se de molho durante 2 horas em água fria temperada com sal.
Corta-se a carne de porco, o presunto e o toucinho aos cubos. Tempera-se com sal, alhos pisados, colorau, o copo de vinho tinto, folha de louro e piripiri. Mistura-se tudo muito bem e deixa-se marinar cerca de 3 horas.
Descascam-se as cebolas e cortam-se em meias luas finas.
Põe-se o azeite, a banha e a cebola na cataplana a refogar em lume brando. Quando a cebola estiver transparente, acrescentam-se as carnes marinadas, as amêijoas escorridas e passadas por água corrente, o camarão com casca, o chouriço às rodelas e o molhinho de salsa e coentros.
Fecha-se a cataplana e leva-se ao lume médio durante 25 minutos. Rectificam-se os temperos, retira-se a salsa e os coentros.

 

Nota:

 

1. E pronto bom apetite!

04
Jun11

Festa dos Petiscos do Pescador 2011

Lígia Laginha

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje este blog marafado dá a conhecer mais um evento que marca a nossa agenda cultural no mês de Junho. Esse evento tem lugar em Quarteira, uma das mais importantes cidades do Concelho de Loulé, durante os dias 3, 4 e 5 de Junho. Terra desde sempre ligada às lides da pesca, Quarteira celebra o Dia do Pescador (31 de Maio) com a edição de mais uma Festa dos Petiscos do Pescador.

A Praça do Mar é o sitio escolhido para apresentar as tradições gastronómicas locais e atrair a Quarteira dezenas de pessoas.

A par do vasto programa musical e dos sabores sempre apetecíveis do marisco e do peixe fresco, aqui confeccionados e apresentados por famílias de pescadores, este evento tem como um dos momentos mais importantes a tradicional lavada que terá lugar no sábado, dia 4, pelas 18h00, na Praia de Quarteira.

A lavada ou arte tradicional de arrastar para terra, constitui um quadro ímpar e típico desta antiga aldeia piscatória, a população é convidada a participar no "puxar a rede" para terra onde se pode ver a riqueza que ainda se encontra nas águas que banham Quarteira, através da quantidade e qualidade do pescado que, ano após ano, é capturado.

A Festa dos Petiscos do Pescador é uma organização da QUARPESCA - Associação de Pescadores e Armadores de Quarteira (agracida com a Medalha de Mérito Municipal em 2011), que conta com o apoio da Câmara Municipal de Loulé e da Junta de Freguesia de Quarteira.

 

Nota:

 

1. Não faltem e venham comer entre outros acepipes a bela da cataplana de marisco.

16
Mai11

O que os algarvios comem (IV) - Ervilhas com Ovos

Lígia Laginha

 

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Como ainda estamos na Primavera é tempo de comer ervilhas, ou melhor, griséus como nós algarvios marafados chamamos as ervilhas.

Embora existam muitas formas de cozinhar os griséus, a marafada elegeu a receita de griséus com ovos escalfados. Um prato que também se confessiona (e muito bem) no Alentejo mas em que cada um introduz as suas particularidades.

Então aqui fica a receita de griséus com ovos tipicamente algarvia:

 

 

Ingredientes:
Para 4 pessoas

  • 3 kg de ervilhas novas com casca ;
  • 1 ramo de salsa ou coentros ;
  • 150 grs de cebolas ;
  • 1 dl de azeite ;
  • 100 grs de banha ;
  • 100 grs de chouriço de carne ;
  • Um naco de toucinho ;
  • 4 ovos ;
  • sal q.b. 

Confecção:

Descasque e lave as ervilhas. Descasque, também, a cebola e corte bastante fina. O chouriço é cortado ás rodelas, depois de lhe ter tirado a pele, e o toucinho deve ser fatiado ou cortado aos bocadinhos.
Leve um tacho ao lume com azeite e banha. Deite dentro a cebola, o chouriço, o toucinho e o ramo de salsa. Deixe a cebola alourar.
Adicione as ervilhas e ponha a refogar, durante alguns minutos. Cubra com água. Tempere com sal e deixe cozer, tendo o cuidado de tapar o tacho.
Por fim, parta os ovos e coloque um de cada vez abrindo uns buraquinhos entre as ervilhas, deixando-os escalfar.

 

Nota:

 

1. Caso não tenham griséus de colheita podem usar congelados ou de lata que fica bom na mesma.

 

2. Bom apetite!

03
Mai11

O que os algarvios comem (III) - Caracóis

Lígia Laginha

 

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje voltamos a falar de paparoca e como Maio é o mês do caracól aqui vos deixo uma receita de caracóis à algarvia retirada do site http://www.gastronomias.com. Para quem gosta de carocóis, caracolinhos e caracoletas é experimentar.

 

Ingredientes:
Para 6 pessoas

  • 2 kg de caracóis ;
  • sal ;
  • paus de oregãos

Confecção:

Oito dias antes de se cozinharem põem-se os caracóis dentro de um recipiente com furos e tapados com uma rede (ou com uma peneira) e dá-se-lhes farinha de trigo ou sêmeas. Durante este espaço de tempo, os caracóis eliminarão as toxinas que possam ter e a farinha ajudá-los-á a engordar.
Passado o referido tempo lavam-se os caracóis em várias águas com sal, esfregando-os. Os caracóis estão prontos quando na água não houver sinais de visco.
Introduzem-se os caracóis numa panela com água fria abundante e levam-se ao lume, inicialmente fraco e aumentando progressivamente o calor para que os caracóis deitem a cabeça de fora. À água junta-se sal grosso, e quando os caracóis estiverem praticamente cozidos adicionam-se os paus de oregãos. As folhas dos oregãos não devem fazer parte deste tempero porque transmitem aos caracóis um sabor amargo que não é apreciado no Algarve.
Os caracóis cozem durante meia hora ou, no máximo, 40 minutos.
Comem-se bem quentes, tirando-os das conchas com um alfinete.

Há quem junte um pouco de pimenta ou de malagueta.

São geralmente comidos nas noites quentes de Verão e ao ar livre.

 

Nota:

 

1. A estes ingredientes há quem junte também uma casca de limão, uma casca de laranja e 1 caldo Knorr. Este último embora não muito tradicional e pouco recomendado para a saúde dá um sabor excepcional aos caracóis. A Louletana garante.

 

2. Bom proveito.

30
Abr11

O que os algarvios comem (II) - Favas

Lígia Laginha

 

 

 

Bom dia caríssimos visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje a marafada decidiu voltar a falar em comidinha. Afinal o que é que nos tráz de pé?? 

 

Sobretudo na época em que estamos, altura em que já estão prontas a colher, as favas são um dos pratos predilecos do povo algarvio. Enquanto planta da família das leguminosas, a fava adapta-se perfeitamente bem aos climas mediterrâneos e sabe-se hoje que é consumida desde tempos remotos. Os gregos, os romanos e alguns povos do Médio Oriente incluiam na sua alimentação a fava. A fava é muito rica em proteínas e carboidratos, embora pobre em vitaminas. Nas regiões do Interior, nos inicios da Primavera, podem ver-se as hortas repletas desta cultura e o povo a apanhar as favas que são posteriormente descascadas. Para quem desconhece a constituição da fava podemos dizer que se trata de uma planta não trepadeira que produz vagens dentro das quais se encontram as sementes comestiveis. As cascas também eram consumidas em alguns pratos em tempos dos nossos antepassados mas hoje são aproveitadas sobretudo para a alimentação do porco, da cabra ou da ovelha.

 

São muitas as formas de cozinhar as favas e os outros alimentos às quais as juntam. Alguns apreciam favas com choco, outros favas guisadas e outros ainda as chamadas favas de alhada que tem por base as favas já secas e não acabadas de colher. A marafada louletana decidiu apresentar uma receita que é retirada do site http://www.gastronomias.com e que é aquela que mais se aproxima da forma como a minha mãe prepara as favas.

 

Então aqui vai a receita de "Favas à Algarvia":

 

Ingredientes:
Para 4 pessoas

  • 800 grs de favas (descascadas) ;
  • 150 grs de chouriço preto (morcela) ;
  • 150 grs de chouriço vermelho ;
  • 2 dentes de alho ;
  • 1 quarto de dl de azeite ;
  • 150 grs de bacon ou toucinho entremeado fresco ;
  • 1 molho de coentros, rama de alho e de cebolam

Confecção:

Descasque as favas. Lave em água fria e escorra num passador.
Leve um tacho ao lume. Adicione um pouco de água, junte as favas e coza cerca de 8 minutos.
Escorra as favas e retire-as do tacho. Descasque os dentes de alho e pique fino.
Corte o chouriço preto e o vermelho ás rodas e o bacon em fatias pequenas.
Leve novamente o tacho ao lume, depois de lavado e limpo. Deite o azeite e deixe aquecer. Junte o alho e deixe alourar, sem queimar. Em seguida, junte as favas e um pouco de água. Tape e deixe cozinhar.
À parte, numa frigideira frite as carnes. Junte ás favas que estão a cozinhar e mexa envolvendo as carnes com favas. Deixe apurar.
Polvilhe com coentros, ramas de alho e de cebola picadas.


Nota:

 

1. Experimentem e vão ver como é saboroso. No caso de não terem favas frescas podem comprar congeladas e tentem usar chouriço de tipo caseiro.

 

2. Cuidado com o colesterol!

 

3. Não mandem ninguém à fava por que é falta de educação :)

 

28
Abr11

O que os algarvios comem (I) - A tiborna

Lígia Laginha

 

 

 

Bom dia caros visitantes do “Marafações de uma Louletana”.


Loulé é o maior concelho dessa região maravilhosa que é o Algarve. Dividido entre o Litoral, a Serra e o Barrocal, é um concelho cuja gastronomia é rica e variada. Enquanto no Interior, Serra e Barrocal, predominam os pratos confeccionados com feijão, grão, favas, ervilhas e os doces à base de figo, amêndoa, alfarroba… no litoral podemos apreciar as cataplanas e os arrozes de mariscos vários.

Assim sendo este blog não podia deixar de vos dar a conhecer o que os marafados comem e umas dicas sobre a confecção dessas iguarias fantásticas.


Mas para começar trouxe-lhes aquilo que talvez não se possa chamar um prato na verdadeira acepção da palavra mas antes uma espécie de acepipe ou pequena degustação. A tiborna é o que nós algarvios chamamos a pão, torrado ou cru, molhado no azeite. O azeite é parte integrante da nossa dieta alimentar quase desde sempre já que a oliveira adapta-se muito bem às nossas condições climatéricas e aos nossos solos mediterrâneos. Há zonas em que ao azeite num prato alguns juntam alho e sal mas a tiborna que a marafada está habituada consiste pura e simplesmente em deitar algum azeite num prato e molhar lá o pãozinho quente. Lembra-me bem dos tempos em que a minha avó cozia o pão no forno a lenha e mal o tirava de lá fazíamos umas tibornas. Hoje a tiborna é sobretudo feita para experimentar o azeite novo, ou seja, aquele acabado de vir do lagar.

 

E pronto espero que experimentem fazer isto em casa pois não é perigoso e vão ver que descobrem novos sabores na simplicidade de um bocado de pão molhado em azeite.