Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marafações de uma Louletana

Blog sobre Loulé e as suas gentes

Blog sobre Loulé e as suas gentes

Marafações de uma Louletana

05
Ago11

Feira do Livro e do Artesanato de Quarteira

Lígia Laginha

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

A partir de hoje e até 14 de Agosto, a Marginal de Quarteira volta a ser palco de mais uma Feira do Livro e do Artesanato.

 

 

O certame contará com 30 pavilhões onde estarão representadas as seguintes editoras: Instituto Piaget, Esfera dos Livros, Guerra e Paz, Objectiva, Cavalo de ferro, Esquilo, Planeta Manuscrito, Âmbar, Arte em movimento, Publicações D. Quixote, Caminho, Texto, Teorema, Livros do Brasil, Porto Editora, Gradiva, Dinalivro, Civilização Editora, Clube Autor, Evereste, Impala, Konsoante, Leya, Academia do Livro, Asa, Caderno, Casa das Letras, Estrela Polar, Gailivro, Lua de Papel, Oficina do Livro, Quinta essência, Sebenta e Presença.

 

A vertente de artesanato contará com 52 pavilhões em representação de 49 artesãos e 12 produtores agro-alimentares, oriundos do Concelho de Loulé, de outros pontos do Algarve e até mesmo de outras regiões do país. 

 

Mais uma vez o artesanato tradicional está em destaque, com muitos expositores a trabalharem ao vivo. Dos trabalhos em palma, madeira e trapologia, típicos do interior, à cerâmica decorativa, bijutaria e acessórios de moda mais urbanos, a feira oferece ao visitante um leque alargado de produtos genuínos e de qualidade. Para os apreciadores da gastronomia local, podem ainda encontrar os licores e compotas regionais, o mel, os enchidos, a aguardente de medronho e o melhor da doçaria algarvia.

 

A Biblioteca Municipal contará com a presença de dois pavilhões com actividades diárias:


Dia 5 – 21h30 - História para pais e filhos “Barriguinha” de Steve Smallman;

Dia 6 – 21h30 - Atelier de Expressão Plástica para pais e filhos – Pinturas com Sal colorido;

Dia 7 – 21h30 - História para pais e filhos “É tão injusto” de Jonathan Allen;

Dia 8 – 21h30 -  Atelier de Expressão Plástica para pais e filhos – Pinturas com areia;

Dia 9 – 21h30 -  História para pais e filhos “As poções secretas da professora Parassalsa” de Robin Tzannes;

Dia 10 – 21h30 - Atelier de Expressão Plástica para pais e filhos – Construção de Moinhos de Vento;

Dia 11 – 21h30 - História para pais e filhos “Meninos de todas as cores” de Luísa Ducla Soares;

Dia 12 – 21h30 - Atelier de Expressão Plástica para pais e filhos – Origami;

Dia 13 – 21h30 - História para pais e filhos “Anjos” de Carla Antunes;

Dia 14 – 21h30 - Atelier de Pinturas Faciais e Pinturas colectivas.

 

O horário de funcionamento é o seguinte: domingo a quinta-feira, das 19h00 às 00h00, e à sexta-feira e sábado, das 19:00 às 1:00 horas.

 

No dia de abertura, pelas 19h00 e 21h30 decorrerá no recinto da feira o espectáculo “Os livros na nossa vida” pelo T.A.L. - Teatro Análise de Loulé - Casa da Cultura de Loulé.

 

Nota:

 

1. A entrada é livre. Aproveitem!



04
Ago11

A Praia da Quinta do Lago

Lígia Laginha

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Mais uma ida até à praia:

 

A Praia da Quinta do Lago situa-se em pleno Parque Natural da Ria Formosa, numa zona de grande equilíbrio ecológico e sensibilidade paisagística. Esta praia está associada a uma estância turística de alta qualidade, com excelentes infra-estruturas, compreendendo, entre outras, a prática de golfe e ténis, actividades equestres e uma vasta oferta a nível de desportos náuticos. O acesso ao areal é feito através duma ponte em madeira perfeitamente enquadrada no meio, a mais extensa da Europa (com 300m), que se eleva sobre os esteiros da ria. É uma das zonas do Concelho onde existe uma maior biodiversidade, com grande variedade de habitats, sendo um local privilegiado para a observação de avifauna. Existem aqui dois trilhos pedestres demarcados, onde se pode avistar de perto Patos-Reais, Galeirões e Galinhas-Sultanas, entre outros. As dunas estão bem conservadas e mostram uma flora rica e aromática muito diversificada. Tem apoio de praia com instalações sanitárias restaurante/bar, vigilância, concessão de toldos e desportos náuticos motorizados.

 

Nota:

 

1. Circule pelos passadiços de modo a contribuir para a preservação do sistema dunar.

 

03
Ago11

ACTA leva "Canto Nono" a Quarteira

Lígia Laginha

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

O post de hoje é dedicado a quem gosta de teatro:

 

Esta quinta-feira, dia 4 de Agosto, às 22h00, na Praça do Mar em Quarteira, o Canto IX de "Os Lusíadas" surge na narrativa épica de Camões essencialmente como corolário de festa pagã, prémio que a venerável Vénus entende ser devido aos portugueses pelo reconhecimento da sua bravura e de que por esta têm direito ao merecimento de compensação terrena.

O espectáculo Canto Nono é, pois, não uma elaboração que pretende reproduzir passo a passo os momentos do Canto, mas antes uma elaboração alusiva a esse momento da épica camoniana, onde as personagens se cruzam com um sentido de festa e devir poético que tarda: "Ai Portugal, Portugal!/Do que é que estás à espera?!"

Esta adaptação do “Canto Nono” pela ACTA – A Companhia de Teatro do Algarve – prossegue depois em digressão nos dias 15 e 20 de Agosto, em Portimão e Lagos, respectivamente.

 

Nota:

 

1. A entrada é livre. Aproveitem!

 

02
Ago11

O que os algarvios comem (X) - Jantar ou cozido de milhos

Lígia Laginha

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Voltamos a falar dos petiscos algarvios e hoje o prato seleccionado é bem tipico do interior do Concelho de Loulé e chama-se Jantar ou Cozido de Milhos. Então aqui fica a receita:

 

Ingredientes:

 

1 kg de Milho amarelo em grão

1 Pé de porco (chispe)

1 Orelha de porco

Um bocado de faceira

e de focinho

20 grs. de Toucinho

2 Cravinhos

Sal q.b.

Pimenta em grão q.b.

Cinzas q.b.

 

Preparação:

 

Põe-se o milho de molho de um dia para o outro. No dia seguinte deitam-se os milhos numa panela, cobrem-se com água fria e cinzas (de preferência cinzas de figueira). Deixa-se o milho ferver até se poder retirar o «olho preto» dos mesmos. Escorrem-se e lavam-se os milhos esfregando-os e mudando as águas até largarem o referido «olho preto». Depois de bem lavados deitam-se os milhos novamente na panela, cobrem-se com água e juntam-se-lhes as carnes de porco preparadas, o toucinho, os cravinhos e os grãos de pimenta. Deixam-se cozer. Os milhos abrem e servem-se numa travessa com as carnes.

 

Nota:

 

1. Como a preparação dos milhos de forma tradicional é algo complexo, actualmente já se pode comprar milho previamente preparado para o efeito.

 

2. Bon apetit!

 

01
Ago11

Freguesias do Concelho de Loulé (IV) - Querença

Lígia Laginha

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje vamos até Querença, uma das mais afamadas freguesias do interior louletano.

 

Situada num monte fica a aldeia de Querença que dá o nome à freguesia, que já pode caracterizar-se pela transição entre o Barrocal e a Serra. As casas descem pela encosta em todas as direcções, situando-se bem lá no alto a pequena e bonita Iigreja, orgulho das gentes de Querença. A aldeia, de ocupação bem antiga, como provam os vestígios pré-históricos encontrados na região, desenvolve-se a partir do alto de um monte, estendendo o casario branco pela encosta marcada por ladeiras íngremes e empedradas. Barras azuis emolduram portas e janelas, e algumas chaminés rendilhadas, redondas e rectangulares, vão decorando os telhados bem visíveis. Platibandas ricamente trabalhadas marcam alguns edifícios ao longo da subida.
É nesta freguesia que se destila um dos mais afamados medronhos e se produz o mais apreciado chouriço, para além de outras tipicidades. A Festa das Chouriças constitui, entre outros, um dos pontos mais altos das festividades que em Querença se realizam anualmente.

Nesta freguesia encontramos uma gastronomia típica que os restaurantes locais conservam o mais genuinamente possível. São pratos típicos de Querença, entre outros, a Galinha Cerejada, o Galo de Cabidela e o Xerém (as papas do milho, tradicional do Algarve).

As grutas da Salustreira com quase oitenta metros de comprimento e doze de altura, junto à Fonte da Benémola - área protegida de rara beleza e originalidade - são ponto de passagem obrigatória para quem visita a freguesia.

De salientar que a Freguesia de Querença, em virtude da criação institucional da nova Freguesia da Tôr, em 1997 então a integrava, acaba de ver substancialmente reduzida a sua área geográfica.

 

Nota:

 

1. De Querença são naturais alguns dos mais ilustres louletanos, parte deles já aqui referenciados, como é o caso de Quirino dos Santos Mealha.

Pág. 3/3