Sábado, 16.07.11

Toponímia Louletana (IV) - Praça Afonso III

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje voltamos a falar das ruas que fazem parte da nossa maravilhosa cidade louletana.

 

Localizada a poente da muralha do Castelo, a praça Afonso III é dedicada ao rei português responsável pela conquista de Loulé aos mouros em 1249. Este topónimo foi-lhe atribuído em sessão de Câmara de 19/06/1935, por prosposta do vogal João Moura.

Esta praça foi outrora chamada de largo do Chafariz, por aí ter existido um bebedouro de animais, destruido no ano de 1978. Este chafariz era circular e recebia a água proveniente das Bicas Velhas, que corria permanentemente por uma calha de pedra. Esta denominação já aparece referenciada nas Décimas da Vila de 1802.

 

Quanto a D. Afonso III (1210-1279) ficou conhecido como o Bolonhês e outorgou foral a Loulé, em Agosto de 1266, tendo a consolidação administrativa do País constituído o seu maior mérito.

 

Nota:

 

1. Informação retirada da magnífica obra "Dicionário Toponímico: Cidade de Loulé" de Jorge Filipe Maria da Palma.

Rabiscado por Lígia Laginha às 09:07 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Terça-feira, 26.04.11

Toponímia Louletana (III) - Rua da Barbacã

 

 

 

Bom dia caros visitantes do “Marafações de uma Louletana”.

 

Hoje voltamos à toponímia da nossa querida cidade e falamos de um dos topónimos mais antigos da mesma: a Rua da Barbacã.

Barbacã ou barbacãs eram estruturas defensivas comuns nas fortificações medievais e que perderam relativa importância com o aparecimento da artilharia. Daí que este topónimo, segundo a obra “O castelo de Loulé” da Dr.ª Isilda Martins, esteja relacionado “com um fosso existente entre a muralha do Castelo e outra mais baixa e de menor espessura que desapareceu”.

A Rua da Barbacã, topónimo nunca oficializado pela Câmara Municipal, tem inicio no Largo Dr. Bernardo Lopes e termina na Praça Afonso III. Constitui assim um “caminho” importante para ter acesso ao centro da Cidade e todos os dias é calcorreada por dezenas de pessoas incluindo aqui pela marafada.

 

Nota:

 

1. Mais uma vez a informação aqui contida foi retirada do “Dicionário Toponímico: cidade de Loulé” da autoria de Jorge Filipe Maria da Palma. A louletana marafada recomenda vivamente este livrinho sobre as ruas da cidade de Loulé.

 

Rabiscado por Lígia Laginha às 07:42 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Sábado, 16.04.11

Toponímia Louletana (II) - Rua de Vale Telheiro

 

 

 

 

Hoje o “Marafações de uma Louletana” escolheu como topónimo a apresentar a Rua de Vale Telheiro. E porquê? Perguntam os meus caros visitantes. Porque Vale Telheiro é nem mais nem menos a santa terrinha onde nasceu e foi criada aqui a marafada. Um sítio maravilhoso dentro do fantástico concelho que é Loulé e a apenas dois quilómetros da cidade louletana.


Infortunadamente pouco de concreto há a dizer sobre Vale Telheiro. A documentação é escassa e muito do pouco que se sabe foi transmitido oralmente pelos poucos habitantes “vale telheirenses”, a maioria deles perfazendo hoje oitenta e alguns anos.

De resto Vale Telheiro é apreciado pelos estrangeiros como sítio bafejado pela beleza natural e pelo sossego que tanto agrada aos forasteiros.


Quanto à designada Rua de Vale Telheiro a mesma inicia-se na Rua da Marroquia e tem término no Caminho Municipal 1194, sendo deste modo uma artéria que permite o acesso entre Loulé e a localidade de Vale Telheiro. Este topónimo foi atribuído em 20 de Fevereiro de 2008. Tendo por base informação contida em Actas de Vereação do Século XV deduz-se que o nome “Vale Telheiro” deriva de um “vale onde havia um telheiro ou onde se fabricava telha”.


Assim sendo, aqui está um bocadinho de informação sobre Vale Telheiro e a justa homenagem a um sítio que poucos conhecem mas que tem muito para ver.


Bem hajam todos os visitantes.

 

Nota:


1. Mais Uma vez a informação toponímica aqui contida foi retirada da obra “Dicionário Toponímico: Cidade de Loulé” de Jorge Filipe Maria da Palma. A louletana marafada recomenda a mesma obra por ser na área sobre a qual incide uma das melhores até então.

Rabiscado por Lígia Laginha às 08:42 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Domingo, 03.04.11

Toponímia Louletana (I) - Rua Dom Paio Peres Correia

 

 

 

 

 

A identidade e a História de uma cidade está directamente relacionada com os seus topónimos. Assim, conhecer a toponímia de um local é também ter acesso à sua cultura, aos acontecimentos e personalidades que se distinguiram nesse mesmo local. Desta forma, uma das rúbricas que fará parte do blog "Marafações de uma Louletana" será a "Toponímia Louletana".

 

 

Começamos pela Rua Dom Paio Peres Correia:

 

A Rua D. Paio Peres Correia tem início no Largo D. Pedro I e finda na Praça da República. Situa-se precisamente nos limites das Freguesias de S. Sebastião e S. Clemente.

Antiga Rua de Nossa Senhora da Conceição ou Rua do Castelo, tomou a actual designação em 26/03/1919.

O topónimo Rua da Nossa Senhora da Conceição devesse ao facto de uma Ermida com o mesmo nome se situar nesta rua. A Ermida de Nossa Senhora da Conceição situa-se junto à Porta da vila medieval, no exterior das muralhas, e foi edificada em meados do século XVII. Na sua fachada está colocada uma lápide evocativa do voto de acção de graças, emitido por D. João IV, consagrando Nossa Senhora da Conceição padroeira de Portugal. Construída em Estilo Chão, possui a particularidade de ter a fachada totalmente revestida em cantaria. No interior destaca-se o retábulo em talha, uma obra do escultor Miguel Nobre executada em 1745 e dourada por Diogo de Sousa e Sarre e Rodrigo Correia Pincho.

Voltando à Rua D. Paio Peres Correia, em 1918 a mesma conheceu profundas obras de remodelação, tendo a Câmara, segundo o que se pode ler na Acta de Vereação datada de 13/02/1918, adquirido a José Joaquim Marcelo Adelino Pereira, residente nesta vila, vinte e três metros quadrados de terreno da Rua da Estalagem (outro topónimo pela qual esta rua era conhecida) para alargamento e alinhamento desta. Na intervenção levada a cabo foi demolida a muralha da Alcaidaria e construída, sobre o alicerce da muralha e parte do pátio, uma casa. Esta mesma casa foi adquirida pela autarquia louletana em 1985 para proceder à sua demolição e requalificação do espaço do pátio do Castelo.

Resta-nos falar um pouco do célebre fidalgo que dá nome a esta rua desde 1919. D. Paio Peres Correia (século XIII), notável fidalgo, chefe peninsular da Ordem de Santiago, foi o responsável pela conquista de Loulé aos mouros em 1249. Faleceu em 1275 e encontra-se sepultado na capela-mor da Igreja de Santa Maria de Tavira. 

 

Notas:

 

1. A informação que aqui se apresenta foi retirada da obra "Dicionario Toponímico: Cidade de Loulé" do historiador Jorge Filipe Maria da Palma. A louletada marafada recomenda vivamente esta obra.

 

2. Nesta rua fica situado o Castelo de Loulé, monumento secular que pode ser visitado pela módica quantia de 1 euro e 50 cêntimos. No castelo pode igualmente visitar o Museu de Arqueologia, a Cozinha tradicional e desenvover investigações de carácter histórico e etnográfico no Centro de Documentação. Este espaços encontram-se abertos ao públicos nos dias de semana entre as 9 horas e as 17h30 m. Cozinha, Museu e Muralhas também acessíveis ao Sábado até às 14 horas. Bem hajas todos os os visitantes.

 

Até à próxima marafação :)

 

Rabiscado por Lígia Laginha às 09:29 link do post | Comentar | Marafações predilectas

pesquisar

 

Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
17
21
26
27
28
29
30

últimos comentários

  • Ora andava na net a pesquisar uma receita das noss...
  • Muito boa tarde.Gosto muito do seu trabalho.Hoje e...
  • Parabéns pelo artigo...Foi editado em 2010 pela Câ...
  • olá viva,adoro a alcofa redonda. Será k posso ter ...
  • Um dos meus bisavôs teve uma dessas indústrias de ...
  • Tão lindo, tudo caiado, branquinho ! Pena que est...
  • Cara Lígia,Tomei a liberdade de utilizar esta sua ...
  • Olá, procuro os proprietários da capela de Sta . C...
  • Muito bom blog ;))
  • tenho uma cataplana a estrear e vai começar por um...

As marafações passadas de validade