Terça-feira, 06.09.11

Exposição de Pintura Colectiva “Formas de Ver”

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

De 3 de Setembro a 9 de Outubro estará patente na Galeria de Arte da Praça do Mar, em Quarteira, a exposição de pintura colectiva "Formas de Ver".

 

Mais uma vez este grupo reúne-se para com o seu talento, arte e sensibilidade expor a sua Forma de Ver.

Para além da grande amizade que os une, cada um, com trabalhos diferentes, possuem algo muito importante em comum: a forma “ idêntica “ de sentir, de ver tudo aquilo que transmitem de uma forma espontânea.

Todos eles têm uma maneira própria de ver as formas, pois não se limitam a olhar! Eles sentem o que vêem...dai Formas de Ver!

Com as suas mãos transformam o que observam de uma forma tão pessoal, que, inconscientemente, despertam a todos quantos visitam esta exposição o gosto, a sensibilidade para deixar de olhar e passar também a sentir e a ganhar novas Formas de Ver.

 

Nota:

 

1. A Galeria de Arte da Praça do Mar está aberta ao público de Segunda a Sábado nos seguintes horários:

 

Segunda a Sexta-Feira: das 10H às 19H

Sábado: das 9h30 às 14H

 

Este horário é apenas aplicável até ao dia 17 de Setembro, altura em que se voltará ao horário dito normal:

 

Segunda a Sexta-Feira: das 9H às 17h30

Sábado: das 9H às 13H.

 

2. Visitem! A entrada é gratuita.

Rabiscado por Lígia Laginha às 07:29 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Segunda-feira, 29.08.11

EXPOSIÇÃO DE JOÃO VAZ DE CARVALHO E JOÃO CASTRO E SILVA

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Foi inaugurada este sábado, 27 de Agosto, pelas 19h00, a Exposição conjunta de João Vaz de Carvalho e João Castro e Silva, patente ao público na Galeria de Arte do Convento Espírito Santo, em Loulé, até 29 de Outubro.

João Vaz de Carvalho nasceu no Fundão em 1958. O contacto e vivências com a ruralidade envolvente viriam a marcar profundamente o seu trabalho e a sua linguagem pictórica. Nos anos 80, instala-se em Coimbra na oficina de Vasco Berardo, onde irá trabalhar entre 1981 e 1984 no desenho, na pintura e na cerâmica. É a partir de 1987 que começa a expor o seu trabalho, passou por inúmeras galerias, entre as quais, Altamira, Edicarte, Miron-Trema, Novo Século, entre outras.
Com vários trabalhos publicados em livros e na impressa nacional, por exemplo no “Diário de Notícias”, João Vaz de Carvalho é também uma presença constante na Bienal Ilustração Portuguesa, sendo o vencedor do 1º prémio Ilustrare 2005. Para além destes, tem participado também em outras exposições de referência na área da ilustração, como por exemplo o Prémio Stuart de desenho de Impressa e o World Press Cartoon.

 

 


Representar um corpo é isolar uma forma permanente que na realidade não existe, em que os ‘traços inalteráveis’ serão percepcionados num processo que tenta congelar o constante fluxo desse corpo, num estado de imutabilidade. Estes são os princípios que as obras de João Castro e Silva encerram na sua genialidade. 
A Exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 19h00, e aos sábados, das 9h30 às 14h00.

 

Rabiscado por Lígia Laginha às 07:36 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Domingo, 08.05.11

Mãe Soberana por Carlos Porfírio

 

 

 

Bom dia caros visitantes do “Marafações de uma Louletana”.


Hoje é dia de Festa em Loulé, Festa Grande em honra da nossa Padroeira. Como tal a marafada decidiu dedicar este post a uma das mais belas pinturas que existem da Nossa Senhora da Piedade. Esta pintura, óleo sobre tela, foi executada em 1970 pelo pintor farense Carlos Porfírio. Última obra deste pintor e cineasta cuja obra revelava uma grande influência futurista.

 

 

 

Homem aventureiro e que procurava saber mais fixou residência em Madrid e em Paris, no entanto, devido à II Grande Guerra acabou por regressar a Portugal em 1939.

Foi director e editor do “Portugal Futurista” e dirigiu os filmes "Sonho de Amor", 1945 e "Um grito na Noite", 1948.

A Carlos Porfírio se deve também a criação do Museu Etnográfico de Faro.

Para além da obra “Mãe Soberana” é autor de outras pinturas que revelam bem o seu gosto pelas tradições algarvias tais como: “Lenda das Amendoeiras em Flor”, concebida para a sala designada “Lendas do Algarve” do Museu Etnográfico de Faro; “A Moira do pente de oiro”, “O Touro Preto”, entre outras.

 

Notas:

 

1. Viva a Mãe Soberana! Viva os Homens do Andor!

A louletana está:
Cantiga: Hino da Mãe Soberana
Rabiscado por Lígia Laginha às 08:40 link do post | Comentar | Marafações predilectas

pesquisar

 

Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
17
21
26
27
28
29
30

últimos comentários

  • Ora andava na net a pesquisar uma receita das noss...
  • Muito boa tarde.Gosto muito do seu trabalho.Hoje e...
  • Parabéns pelo artigo...Foi editado em 2010 pela Câ...
  • olá viva,adoro a alcofa redonda. Será k posso ter ...
  • Um dos meus bisavôs teve uma dessas indústrias de ...
  • Tão lindo, tudo caiado, branquinho ! Pena que est...
  • Cara Lígia,Tomei a liberdade de utilizar esta sua ...
  • Olá, procuro os proprietários da capela de Sta . C...
  • Muito bom blog ;))
  • tenho uma cataplana a estrear e vai começar por um...

As marafações passadas de validade