Terça-feira, 13.09.11

O que os algarvios comem (XV) - Conquilhas à Algarvia

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".
Hoje trago-vos um prato muito apreciado pelas gentes algarvias sobretudo como entrada.
Também apelidada de condelipa e de uma série de outras designações, a conquilha é o nome vulgar de bivalves do género Donax. Vivem junto à rebentação do mar, enterrados na areia, a uns poucos centimetros de profundidade. Encontram-se nas praias do Algarve e são relativamente fáceis de capturar, sem ser necessário qualquer instrumento auxiliar. Actualmente, a conquilha é considerada como uma boa entrada para o almoço ou jantar.
Então aqui fica a receita de conquilhas à algarvia:

Ingredientes:
Para 4 pessoas

  • 1 kg de conquilhas ;
  • 2 colheres de sopa de azeite ;
  • 3 dentes de alho ;
  • coentros ;
  • limão ;
  • pimenta

Confecção:

Lavam-se as conquilhas e põem-se de molho em água com sal durante 12 horas (2 marés).
Cortam-se os alhos em rodelas e alouram-se no azeite. Juntam-se as conquilhas e deixam-se abrir sobre lume brando mexendo de vez em quando.
Retiram-se imediatamente do lume (para não secarem) e polvilham-se com coentros picados e pimenta e regam-se com sumo de limão.
Servem-se com gomos de limão.

 

Nota:

 

1. Et voilá. Bon apetit!

 

Rabiscado por Lígia Laginha às 07:30 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Domingo, 04.09.11

O que os algarvios comem (XIV) - Cozinha de batatas

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Falar em Verão é também falar na apanha do tomate, tomate esse que quando maduro é cozinhado e resulta num molhinho muito especial.

 

Hoje trago-vos uma receita na qual o uso de tomates caseiros e madurinhos faz toda a diferença: Cozinha de Batatas.

 

Ingredientes:

½ Kgs de Batatas; 
1 dl de Azeite ou 2 colheres de sopa de banha de porco; 
8 fatias de pão; 
2 tomates maduros; 
1 Cebola pequena; ´
4 Dentes de alho; 
1 Colher de chá de calda de pimento; 
Água q.b. 
Salsa q.b. 
Sal q.b

Preparação:
 

Arranjam-se os tomates sem peles e grainhas. Numa panela coloca-se o azeite, a cebola, os alhos cortados, a salsa, a calda de pimento e os tomates cortados e deixa-se refogar até a cebola ficar molinha. Depois do refogado terminado acrescenta-se cerca de 1 litro de água, o sal e as batatas cortadas às rodelas. Deixam-se cozer as batatas e depois colocam-se as fatias de pão no fundo de uma travessa e despeja-se o molho e o restante cozinhado por cima destas, deixando-se repousar um pouco para amolecer o pão e está pronto a ser servido.


Nota:

 

1. Bom apetite.

 

2. Se torrarem as fatias de pão ainda sabe melhor.

 

3. Há quem acrescente outros ingredientes a esta receita tais como feijão verde, chouriço, etc.


A louletana está: com água na boca
Rabiscado por Lígia Laginha às 10:04 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Quarta-feira, 24.08.11

O que os algarvios comem (XIII) - Figos cheios

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje continuamos a falar dos frutos secos e trago-vos uma das iguarias algarvias que mais se confeccionam com os mesmos: Figos cheios.

 

Então, segundo a Confraria dos Gastrónomos do Algarve, aqui fica a receita:

 

Ingredientes:

Para cerca de 40 figos

  • 1 kg de figos secos ;
  • 250 grs de amêndoa ;
  • 125 grs de açúcar ;
  • 25 grs de chocolate em pó ;
  • 2,5 grs de erva doce ;
  • raspa de limão q.b. ;
  • canela q.b.

Confecção:

A amêndoa é moída. Junta-se-lhe o açúcar, o chocolate, a canela, a erva-doce, a raspa de limão e mistura-se tudo muito bem.
Pega-se nos figos e puxa-se o pé de modo que fiquem com uma forma alongada.
Com uma faca afiada dá-se-lhes um golpe vertical. Por esta abertura enchem-se os figos.
Fecham-se e disfarçam-se por onde foram recheados.
Levam-se ao forno a torrar.

 

Nota:

 

1. Para os figos serem cheios devem ser postos a secar anteriormente, isto é, ser dispostos sobre esteiras de cana ao sol até estar prontos para suportar o corte e serem cheios com a amêndoa e restantes ingredientes;

 

2. Os figos não têm necessáriamente de ser cheios com esta mistura. Há quem os encha apenas com miolo de amêndoa, inteiro ou corto ao meio. Podem também, ao invés de lhes dar um golpe vertical, dar-lhe a forma de uma estrela e colocar-lhe posteriormente os miolos de amêndoa;

 

 

 

 

3. Normalmente, depois de torrados os figos são unidos entre si por uma linha formando uma espécie de colar;

 

4. Bom apetite!

Rabiscado por Lígia Laginha às 07:18 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Sexta-feira, 19.08.11

O que os algarvios comem (XII) - Arroz de Lingueirão

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje trago-vos um prato muito tipico do litoral algarvio: arroz de lingueirão.

 

Ingredientes:
Para 4 pessoas

  • 1,2 kg de lingueirão ;
  • 400 grs de arroz ;
  • 1 dl de azeite ;
  • 100 grs de cebolas ;
  • 2 dentes de alho ;
  • 1 folha de louro ;
  • 3 cravos de cabecinha ;
  • 200 grs de tomates frescos ;
  • 1 pimento verde pequeno ;
  • 1 dl de vinho branco seco ;
  • sal q.b. ;
  • pimenta q.b.

Confecção:

Lave bem os lingueirões em água fria.
Pique os alhos e a cebola muito fino. Retire os pés aos tomates e escalde estes em água quente. Depois, tire-lhes a pele e as sementes e corte em dados pequenos. Em seguida, retire, também, as sementes ao pimento, lave-o e corte igualmente em dados pequenos.
Leve um tacho ao lume. Ponha dentro os lingueirões e cubra com água, até abrirem.
Depois de abertos, retire os miolos do lingueirão e lave os mesmos para libertar de impurezas.
Passe o caldo onde cozeu os lingueirões por um passador fino, para dentro duma tijela.
Lave o tacho e leve novamente ao lume. Coloque dentro o azeite e deixe aquecer. Em seguida, deite os dentes de alho, a cebola, a folha de louro e os cravos de cabecinha.
Deixe alourar mexendo com uma colher de pau. Adicione o pimento e os tomates. Junte o vinho e deixe refogar. Adicione, também, o caldo onde cozeu os lingueirões e os miolos.
Deixe ferver. Junte o arroz, tempere com sal e pimenta e coza cerca de 15 minutos no forno.

 

Nota:

 

1. Bom apetite!

 

2. Os lingueirões são moluscos bivalves, que se encontram protegidas por duas conchas articuladas num ponto.
De composição sememelhante á carne e ao peixe, os bivalves possuem, no entanto, menor quantidade de proteínas (8-13%) e um teor baixo de gordura (0,7-1,7%). Contudo, contêm cerca de 100 mg de colesterol por 100g, o que é um teor considerável.
Ricos em ferro, fornecem ainda algumas vitaminas B1 e B2 e o mexilhão é muito rico em vitamina A.
Os bivalves, porque vivem nas zonas costeiras onde as águas são mais poluídas e devido á sua grande capacidade filtradora, podem acumular tóxicos presentes na água e ser causa de patologias digestivas, ou outras. Por esse motivo é  arriscado recolher ou comprar bivalves de locais sem vigilância.
Devem ser adquiridos muito frescos, se possível ainda vivos e consumidos no próprio dia ou no dia seguinte. A sua frescura é reconhecida pelas cascas fechadas ou que fecham quando são tocadas. Conchas  abertas, muito leves e/ou de som oco devem ser rejeitadas.
Antes de confeccionados  devem ser deixados em água e sal para que libertem areia e outros resíduos que possam conter. Actualmente, é possível adquirir bivalves congelados ou em conserva, de boa qualidade.

 

 

A louletana está:
Rabiscado por Lígia Laginha às 08:10 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Terça-feira, 09.08.11

O que os algarvios comem (XI) - Queijo de figo

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Os figos são um dos frutos mais apreciados em terras algarvias. Comem-se logo após serem colhidos da figueira ou colocam-se ao sol para secar. Os figos secos com amêndoas são uma das iguarias que os marafados mais degustam.

Os figos são também grandemente utilizados na doçaria algarvia, assim como a alfarroba e a amêndoa. Nesse sentido, hoje escolhi uma receita bem docinha: Queijo de Figo.

 

Ingredientes:

 

1 kg de Figo

500 grs. de Miolo de amêndoa

300 grs. de Açúcar

25 grs. de Chocolate em pó

5 grs. de Canela

1 Colher de sopa de erva doce

1 Chávena de água

1 Cálice de medronho

Raspa de limão q.b.

 

Preparação:

 

Moem-se os figos e as amêndoas grossamente.

Num tacho colocam-se os seguintes ingredientes: chocolate, erva-doce, canela, raspa de limão, medronho, açúcar e um pouco de água. Vai ao lume e mexe-se até ficar tudo ligado. Seguidamente mistura-se a amêndoa e o figo e mexe-se até ficar uma massa homogénea, retira-se do lume e deixa-se arrefecer.

Finalmente, retirando pequenos bocados, molda-se esta massa em forma de pequenos

queijos.

 

Nota:

 

1. Bom proveito!

A louletana está: com água na boca
Rabiscado por Lígia Laginha às 09:28 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Sábado, 06.08.11

Manjares e Folclore juntos na Serra do Caldeirão

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Este fim-de-semana a Cortelha, localidade pertencente à freguesia louletana de Salir, recebe os afamados Manjares Serranos, aos quais surge associado o Festival de Folclore da Serra do Caldeirão.

 

Os mais genuínos manjares, aliados ao tradicional folclore nacional, é aquilo que se poderá encontrar na Cortelha nos dias 6 e 7 de Agosto. 

A aldeia da Cortelha, situada em pleno interior do Concelho de Loulé, conhecida pela arte de bem receber, reaviva a 6 e 7 de Agosto os mais genuínos sabores da cozinha típica serrana, com a realização dos deliciosos Manjares Serranos, que já vão na sua 11ª edição.

A Associação dos Amigos da Cortelha, organizadora do evento, pretende assim promover aquilo que de mais genuíno tem a sua localidade, conjugando-a, no mesmo fim-de-semana, com o também tradicional Festival de Folclore da Serra do Caldeirão, que na sua 8ª edição reunirá em palco grupos folclóricos representastes de várias regiões do país. 

Este duplo evento, que tem sido de sucesso em anos anteriores, dá a provar aos inúmeros forasteiros a tradicional orelha de porco, o chouriço e presunto caseiro, o galo guisado, borrego ou javali e as famosas papas de milho, acompanhados de vasta doçaria regional algarvia e da aguardente de medronho. 

Para além de se degustarem sabores por muitos já esquecidos, toda a envolvência da festa possibilita ainda reviver a vida, as tradições e os costumes das gentes originárias desta zona serrana do Algarve, bem ilustrados na acolhedora aldeia da Cortelha. 

A noite de Sábado estará entregue ao 8º Festival de Folclore da Serra do Caldeirão, onde para além do Grupo Etnográfico da serra do Caldeirão – Cortelha, poderemos apreciar o Grupo de Danças e Cantares Besclore de Lisboa, o Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito – Santarém, e o Rancho Folclórico “As Cerejeiras de Fetais” – Sobral Monte Agraço e o Antakya Belediyesi Folk Dance Group – Turquia, que certamente demonstrarão em palco as características mais genuínas da sua região. O Baile será abrilhantado pelo acordeonista Gonçalo Tardão. 

Domingo será dia de música tradicional com o Grupo “Cante Andarilho” e para terminar, o tradicional Baile Serrano abrilhantado por o Grupo Sons do Sul. 

Manjares e Folclore serão assim cabeças de cartaz numa iniciativa que ganha a cada ano novos públicos e que já conquistou o seu espaço no seio das iniciativas de cariz cultural promovidas na região. Será por certo um fim-de-semana de muita animação onde a Cortelha presenteará os inúmeros visitantes com um magnífico Festival de Sabores e Sonoridades. 

Os Manjares Serranos e o Festival de Folclore da Serra do Caldeirão têm entrada livre e são uma organização da Associação dos Amigos da Cortelha, com o apoio da Câmara Municipal de Loulé, da Junta de Freguesia de Salir, do Turismo do Algarve, do INATEL e da Escola Integrada de Salir.

Rabiscado por Lígia Laginha às 09:20 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Terça-feira, 02.08.11

O que os algarvios comem (X) - Jantar ou cozido de milhos

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Voltamos a falar dos petiscos algarvios e hoje o prato seleccionado é bem tipico do interior do Concelho de Loulé e chama-se Jantar ou Cozido de Milhos. Então aqui fica a receita:

 

Ingredientes:

 

1 kg de Milho amarelo em grão

1 Pé de porco (chispe)

1 Orelha de porco

Um bocado de faceira

e de focinho

20 grs. de Toucinho

2 Cravinhos

Sal q.b.

Pimenta em grão q.b.

Cinzas q.b.

 

Preparação:

 

Põe-se o milho de molho de um dia para o outro. No dia seguinte deitam-se os milhos numa panela, cobrem-se com água fria e cinzas (de preferência cinzas de figueira). Deixa-se o milho ferver até se poder retirar o «olho preto» dos mesmos. Escorrem-se e lavam-se os milhos esfregando-os e mudando as águas até largarem o referido «olho preto». Depois de bem lavados deitam-se os milhos novamente na panela, cobrem-se com água e juntam-se-lhes as carnes de porco preparadas, o toucinho, os cravinhos e os grãos de pimenta. Deixam-se cozer. Os milhos abrem e servem-se numa travessa com as carnes.

 

Nota:

 

1. Como a preparação dos milhos de forma tradicional é algo complexo, actualmente já se pode comprar milho previamente preparado para o efeito.

 

2. Bon apetit!

 

Rabiscado por Lígia Laginha às 07:17 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Terça-feira, 26.07.11

O que os algarvios comem (IX) - Guisado de Galo Caseiro (à moda de Querença)

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje trago-vos um prato tipico do interior algarvio: Galo guisado com batatas.

 

Ingredientes:

 

1 Galo com 5 Kg aprox.

3 Kg de Batatas

750 grs. de Cebola

250 grs. de Toucinho de porco preto

1,5 dl de Vinho tinto caseiro

10 Cabeças de cravinho inteiro

5 Raminhos de salsa

3 Colheres de azeite

2 Tomates médios

2 Cabeças de alho

2 Folhas de louro

2 Malaguetas

Um pouco de noz-moscada

Sangue do galo misturado com 3 colheres de água e 3 colheres de vinagre

Pimentão-doce q.b.

Sal q.b.

 

Preparação:

 

Corta-se o galo aos bocados e põe-se de conserva no vinho caseiro cerca de 1 hora. Misturam-se na conserva 1 cabeça de alhos descascados e cortados aos bocados, louro, cominhos, noz-moscada, 1 carteira pequena de pimentão-doce, cabeças de cravinho, malaguetas e sal.

Num tacho de barro faz-se um frito com o toucinho, deixando-se fritar bem, retirando-o depois. Junta-se o azeite e a outra cabeça de alhos, a cebola, o resto do pimentão-doce e a salsa e deixa-se aloirar tudo muito bem. Depois junta-se o galo, dando-se voltas para o misturar com o preparado. Começa a criar água. Quando esta tiver evaporado, para não queimar, vai-se adicionando, aos poucos, mais água, até o galo estar cozido.

Quando a carne começar a desligar-se do osso da perna, põem-se as batatas, cobrindo-as com água. Deixa-se cozer tudo lentamente. Depois de cozido adiciona-se o sangue do galo mexendo suavemente.

 

Nota:

 

1. O galo deve ser mesmo caseiro. É de comer e chorar por mais!

 

Rabiscado por Lígia Laginha às 09:34 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Sexta-feira, 22.07.11

O que os algarvios comem (VIII) - Carapaus alimados

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje voltamos à comidinha e a marafada seleccionou um prato bem típico das regiões algarvias: carapaus alimados. Confesso que não é dos meus manjares preferidos mas a fama dos carapaus alimados transpõe as fronteiras e é já internacional. Então aqui fica a receita:

 

Ingredientes:
Para 4 pessoas

  • 800 grs de carapaus médios ou pequenos ;
  • 2 dl de azeite ;
  • 1 dl de vinagre ;
  • 100 grs de cebolas ;
  • 2 dentes de alho ;
  • 1 molho de salsa ;
  • sal grosso q.b.

Confecção:

Amanhe os carapaus em cru, tirando-lhes a serrilha, a espinha do umbigo, as tripas e a cabeça. Lave-os bem em água. Em seguida, salgam-se, utilizando o sal grosso, colocando os carapaus em camadas alternadas com sal.
Deixe repousar cerca de 24 horas. Retire o sal aos carapaus e lave-os em água fria.
Leve um tacho com água ao lume. Deite dentro os carapaus e deixe cozer. Depois de cozidos, metem-se em água fria. Limpe as peles, as escamas e algumas espinhas da barriga, ficando com uma carne dura e de bom aspecto.
Coloque os carapaus na travessa onde vão ser servidos, regue com azeite, alho picado, cebola descascada e cortada ás rodelas e o vinagre. Polvilhe com salsa picada.

 

Nota:

 

1. Os carapaus a utilizar deverão ser do tamanho médio e bem frescos. Há pessoas que, no momento de temperar os carapaus, adicionam tomate maduro, cortado ás rodelas.

 

Rabiscado por Lígia Laginha às 07:03 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Quinta-feira, 07.07.11

O que os algarvios comem (VII) - Xerém com conquilhas

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje voltamos à paparoca e a marafada traz-vos a receita do seu manjar preferido: xerém. O xerém são papas de milho e no Algarve este prato conhece inúmeras combinações. Assim, as papas de milho podem ser feitas com conquilhas,amêijoas, sardinhas, ervilhas, camarão etc., etc... Eu prefiro-as simples, sem nada para além de umas rodelas de chouriça e um bocadinhos de pão frito, mas a maioria dos marafados optam por lhes adicionar algum daqueles compotenentes que referi. 

Assim sendo, optei por trazer a receita de xerém com conquilhas por ser um dos concorrentes finalistas às sete maravilhas gastronómicas de Portugal.

 

Ingredientes:
Para 4 pessoas

  • 1 kg de conquilhas ;
  • 100 grs de toucinho fumado ;
  • 100 grs de chouriço ;
  • 200 grs de farinha de milho ;
  • sal q.b.

Confecção:

Numa tigela lave as conquilhas, em água fria, a fim de as libertar de impurezas que possam conter. Em seguida, cubra-as com água do mar, cerca de 4 a 5 horas. No caso de não ter acesso a água do mar, utilize água doce temperada com sal.
Corte o toucinho em tiras pequenas e o chouriço ás rodelas.
Frite-os numa frigideira, em lume brando.
Retire as conquilhas da água. Coza-as num tacho, cobertas de água, cerca de 8 a 10 minutos.
Escorra o líquido onde as cozeu, tendo o cuidado de o passar por um passador fino. Tire o miolo das conquilhas. Deite este num tacho, junte o caldo da cozedura e leve ao lume, deixando ferver um pouco.
Peneire a farinha com a ajuda duma peneira.
Retire o tacho e, fora do lume, adicione a farinha para não encaroçar.
Leve novamente ao lume e deixe cozer, mexendo de vez em quando. Junte as carnes e sirva bem quente.

 

Nota:

 

1. Experimentem mas não garanto que fiquem logo boas à primeira porque fazer o xerém, nome árabe das papas de milho, é algo que requer uma arte própria que se vai aprendendo e aprefeiçoando ao longo dos tempos. 

 

2. Saliento também que em certas regiões do Algarve as papas de milho são confeccionadas de forma simples e depois adicionam-lhe açucar o que as torna numa espécie de doce óptimo para comer à sobremesa.

 

A louletana está: com água na boca
Rabiscado por Lígia Laginha às 07:17 link do post | Comentar | Ver comentários (1) | Marafações predilectas
Terça-feira, 21.06.11

O que os algarvios comem (VI) - Arjamolho

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje a marafada decidiu voltar à paparoca e traz-vos um dos pratos que os algarvios mais comem nesta época quente: o Arjamolho. Também conhecido por gaspacho ou sopas frias, o arjamolho é confeccionado e comido um pouco por todo o Algarve e é um excelente acompanhamento para as sardinhas assadas.

O arjamolho é mais um prato de grande simplicidade que conquista aqueles que vêm de fora e o provam.

 

Então aqui fica a receita:

 

Ingredientes:

Para 4 pessoas

  • 300 grs de tomates maduros ;
  • 3 dentes de alho ;
  • 1 pimento verde ;
  • 1 dl de azeite ;
  • 2 cls de vinagre ;
  • 200 grs de pão caseiro duro ;
  • oregãos q.b. ;
  • sal grosso q.b.

Confecção:

Descasque os dentes de alho e pise com sal. Tire os pés aos tomates, escalde estes em água a ferver, retire a pele e limp de sementes. Corte em dados pequenos. Limpe o pimento e corte, também, em dados pequenos.
Num recipiente, deite o azeite, os oregãos, água fria e o vinagre. Junte os dentes de alho, o sal e os tomates. Corte o pão em fatias pequenas e adicione.
Mexa e sirva bem frio.

 

Nota:

 

1. Há ainda quem adicione pepino ou cebola ao arjamolho e quem não lhe coloque pimento. Todas estas vertentes são saborosas de igual modo. A marafada deixa a dica de que o pão deve estar bem duro e ser cortado em bocadinhos pequeninos.

 

2. Quem nunca provou experimente que é de comer e chorar por mais.

 

A louletana está: com água na boca
Rabiscado por Lígia Laginha às 09:13 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Terça-feira, 14.06.11

o que os algarvios comem (V) - Cataplana de Amêijoas

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje este blog marafado regressa à rúbrica "O que os algarvios comem" e a marafada seleccionou esse prato fantástico que é a Cataplana de Amêijoas. Como toda a gente sabe a costa algarvia é rica em bivalves e as amêijoas não são excepção. Assim sendo, a nossa gastronomia é rica neste tipo de alimento e com ele confeccionamos os mais variados acepipes. Então aqui fica a receita de hoje:

 

CATAPLANA DE AMÊIJOAS

 

Ingredientes:

 

1 kg de Amêijoas;

800g Carne de Porco;

500g Camarão;

200g Presunto sem Sal;

100g Toucinho Entremeado;

1 Chouriço Pequeno de Carne;

1 Copo de Vinho Tinto;

1,5dl Azeite;

2 Cebolas;

2 Colheres de Sopa de Banha;

2 Colheres de Sopa de Colorau Doce;

1 Molhinho de Salsa;

1 Molhinho de Coentros;
3 Dentes de Alho;

1 Folha de Louro;

Sal q.b.;

Piripiri q.b.


Preparação


Lavam-se as amêijoas e põem-se de molho durante 2 horas em água fria temperada com sal.
Corta-se a carne de porco, o presunto e o toucinho aos cubos. Tempera-se com sal, alhos pisados, colorau, o copo de vinho tinto, folha de louro e piripiri. Mistura-se tudo muito bem e deixa-se marinar cerca de 3 horas.
Descascam-se as cebolas e cortam-se em meias luas finas.
Põe-se o azeite, a banha e a cebola na cataplana a refogar em lume brando. Quando a cebola estiver transparente, acrescentam-se as carnes marinadas, as amêijoas escorridas e passadas por água corrente, o camarão com casca, o chouriço às rodelas e o molhinho de salsa e coentros.
Fecha-se a cataplana e leva-se ao lume médio durante 25 minutos. Rectificam-se os temperos, retira-se a salsa e os coentros.

 

Nota:

 

1. E pronto bom apetite!

A louletana está: com água na boca
Rabiscado por Lígia Laginha às 07:42 link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Marafações predilectas
Sábado, 04.06.11

Festa dos Petiscos do Pescador 2011

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje este blog marafado dá a conhecer mais um evento que marca a nossa agenda cultural no mês de Junho. Esse evento tem lugar em Quarteira, uma das mais importantes cidades do Concelho de Loulé, durante os dias 3, 4 e 5 de Junho. Terra desde sempre ligada às lides da pesca, Quarteira celebra o Dia do Pescador (31 de Maio) com a edição de mais uma Festa dos Petiscos do Pescador.

A Praça do Mar é o sitio escolhido para apresentar as tradições gastronómicas locais e atrair a Quarteira dezenas de pessoas.

A par do vasto programa musical e dos sabores sempre apetecíveis do marisco e do peixe fresco, aqui confeccionados e apresentados por famílias de pescadores, este evento tem como um dos momentos mais importantes a tradicional lavada que terá lugar no sábado, dia 4, pelas 18h00, na Praia de Quarteira.

A lavada ou arte tradicional de arrastar para terra, constitui um quadro ímpar e típico desta antiga aldeia piscatória, a população é convidada a participar no "puxar a rede" para terra onde se pode ver a riqueza que ainda se encontra nas águas que banham Quarteira, através da quantidade e qualidade do pescado que, ano após ano, é capturado.

A Festa dos Petiscos do Pescador é uma organização da QUARPESCA - Associação de Pescadores e Armadores de Quarteira (agracida com a Medalha de Mérito Municipal em 2011), que conta com o apoio da Câmara Municipal de Loulé e da Junta de Freguesia de Quarteira.

 

Nota:

 

1. Não faltem e venham comer entre outros acepipes a bela da cataplana de marisco.

Rabiscado por Lígia Laginha às 06:43 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Segunda-feira, 16.05.11

O que os algarvios comem (IV) - Ervilhas com Ovos

 

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Como ainda estamos na Primavera é tempo de comer ervilhas, ou melhor, griséus como nós algarvios marafados chamamos as ervilhas.

Embora existam muitas formas de cozinhar os griséus, a marafada elegeu a receita de griséus com ovos escalfados. Um prato que também se confessiona (e muito bem) no Alentejo mas em que cada um introduz as suas particularidades.

Então aqui fica a receita de griséus com ovos tipicamente algarvia:

 

 

Ingredientes:
Para 4 pessoas

  • 3 kg de ervilhas novas com casca ;
  • 1 ramo de salsa ou coentros ;
  • 150 grs de cebolas ;
  • 1 dl de azeite ;
  • 100 grs de banha ;
  • 100 grs de chouriço de carne ;
  • Um naco de toucinho ;
  • 4 ovos ;
  • sal q.b. 

Confecção:

Descasque e lave as ervilhas. Descasque, também, a cebola e corte bastante fina. O chouriço é cortado ás rodelas, depois de lhe ter tirado a pele, e o toucinho deve ser fatiado ou cortado aos bocadinhos.
Leve um tacho ao lume com azeite e banha. Deite dentro a cebola, o chouriço, o toucinho e o ramo de salsa. Deixe a cebola alourar.
Adicione as ervilhas e ponha a refogar, durante alguns minutos. Cubra com água. Tempere com sal e deixe cozer, tendo o cuidado de tapar o tacho.
Por fim, parta os ovos e coloque um de cada vez abrindo uns buraquinhos entre as ervilhas, deixando-os escalfar.

 

Nota:

 

1. Caso não tenham griséus de colheita podem usar congelados ou de lata que fica bom na mesma.

 

2. Bom apetite!

A louletana está: com água na boca
Rabiscado por Lígia Laginha às 06:44 link do post | Comentar | Ver comentários (1) | Marafações predilectas
Terça-feira, 03.05.11

O que os algarvios comem (III) - Caracóis

 

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje voltamos a falar de paparoca e como Maio é o mês do caracól aqui vos deixo uma receita de caracóis à algarvia retirada do site http://www.gastronomias.com. Para quem gosta de carocóis, caracolinhos e caracoletas é experimentar.

 

Ingredientes:
Para 6 pessoas

  • 2 kg de caracóis ;
  • sal ;
  • paus de oregãos

Confecção:

Oito dias antes de se cozinharem põem-se os caracóis dentro de um recipiente com furos e tapados com uma rede (ou com uma peneira) e dá-se-lhes farinha de trigo ou sêmeas. Durante este espaço de tempo, os caracóis eliminarão as toxinas que possam ter e a farinha ajudá-los-á a engordar.
Passado o referido tempo lavam-se os caracóis em várias águas com sal, esfregando-os. Os caracóis estão prontos quando na água não houver sinais de visco.
Introduzem-se os caracóis numa panela com água fria abundante e levam-se ao lume, inicialmente fraco e aumentando progressivamente o calor para que os caracóis deitem a cabeça de fora. À água junta-se sal grosso, e quando os caracóis estiverem praticamente cozidos adicionam-se os paus de oregãos. As folhas dos oregãos não devem fazer parte deste tempero porque transmitem aos caracóis um sabor amargo que não é apreciado no Algarve.
Os caracóis cozem durante meia hora ou, no máximo, 40 minutos.
Comem-se bem quentes, tirando-os das conchas com um alfinete.

Há quem junte um pouco de pimenta ou de malagueta.

São geralmente comidos nas noites quentes de Verão e ao ar livre.

 

Nota:

 

1. A estes ingredientes há quem junte também uma casca de limão, uma casca de laranja e 1 caldo Knorr. Este último embora não muito tradicional e pouco recomendado para a saúde dá um sabor excepcional aos caracóis. A Louletana garante.

 

2. Bom proveito.

A louletana está: com água na boca
Cantiga: "Caracóis" - Amália
Rabiscado por Lígia Laginha às 09:11 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Sábado, 30.04.11

O que os algarvios comem (II) - Favas

 

 

 

Bom dia caríssimos visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje a marafada decidiu voltar a falar em comidinha. Afinal o que é que nos tráz de pé?? 

 

Sobretudo na época em que estamos, altura em que já estão prontas a colher, as favas são um dos pratos predilecos do povo algarvio. Enquanto planta da família das leguminosas, a fava adapta-se perfeitamente bem aos climas mediterrâneos e sabe-se hoje que é consumida desde tempos remotos. Os gregos, os romanos e alguns povos do Médio Oriente incluiam na sua alimentação a fava. A fava é muito rica em proteínas e carboidratos, embora pobre em vitaminas. Nas regiões do Interior, nos inicios da Primavera, podem ver-se as hortas repletas desta cultura e o povo a apanhar as favas que são posteriormente descascadas. Para quem desconhece a constituição da fava podemos dizer que se trata de uma planta não trepadeira que produz vagens dentro das quais se encontram as sementes comestiveis. As cascas também eram consumidas em alguns pratos em tempos dos nossos antepassados mas hoje são aproveitadas sobretudo para a alimentação do porco, da cabra ou da ovelha.

 

São muitas as formas de cozinhar as favas e os outros alimentos às quais as juntam. Alguns apreciam favas com choco, outros favas guisadas e outros ainda as chamadas favas de alhada que tem por base as favas já secas e não acabadas de colher. A marafada louletana decidiu apresentar uma receita que é retirada do site http://www.gastronomias.com e que é aquela que mais se aproxima da forma como a minha mãe prepara as favas.

 

Então aqui vai a receita de "Favas à Algarvia":

 

Ingredientes:
Para 4 pessoas

  • 800 grs de favas (descascadas) ;
  • 150 grs de chouriço preto (morcela) ;
  • 150 grs de chouriço vermelho ;
  • 2 dentes de alho ;
  • 1 quarto de dl de azeite ;
  • 150 grs de bacon ou toucinho entremeado fresco ;
  • 1 molho de coentros, rama de alho e de cebolam

Confecção:

Descasque as favas. Lave em água fria e escorra num passador.
Leve um tacho ao lume. Adicione um pouco de água, junte as favas e coza cerca de 8 minutos.
Escorra as favas e retire-as do tacho. Descasque os dentes de alho e pique fino.
Corte o chouriço preto e o vermelho ás rodas e o bacon em fatias pequenas.
Leve novamente o tacho ao lume, depois de lavado e limpo. Deite o azeite e deixe aquecer. Junte o alho e deixe alourar, sem queimar. Em seguida, junte as favas e um pouco de água. Tape e deixe cozinhar.
À parte, numa frigideira frite as carnes. Junte ás favas que estão a cozinhar e mexa envolvendo as carnes com favas. Deixe apurar.
Polvilhe com coentros, ramas de alho e de cebola picadas.


Nota:

 

1. Experimentem e vão ver como é saboroso. No caso de não terem favas frescas podem comprar congeladas e tentem usar chouriço de tipo caseiro.

 

2. Cuidado com o colesterol!

 

3. Não mandem ninguém à fava por que é falta de educação :)

 

A louletana está: com água na boca
Rabiscado por Lígia Laginha às 11:38 link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Marafações predilectas
Quinta-feira, 28.04.11

O que os algarvios comem (I) - A tiborna

 

 

 

Bom dia caros visitantes do “Marafações de uma Louletana”.


Loulé é o maior concelho dessa região maravilhosa que é o Algarve. Dividido entre o Litoral, a Serra e o Barrocal, é um concelho cuja gastronomia é rica e variada. Enquanto no Interior, Serra e Barrocal, predominam os pratos confeccionados com feijão, grão, favas, ervilhas e os doces à base de figo, amêndoa, alfarroba… no litoral podemos apreciar as cataplanas e os arrozes de mariscos vários.

Assim sendo este blog não podia deixar de vos dar a conhecer o que os marafados comem e umas dicas sobre a confecção dessas iguarias fantásticas.


Mas para começar trouxe-lhes aquilo que talvez não se possa chamar um prato na verdadeira acepção da palavra mas antes uma espécie de acepipe ou pequena degustação. A tiborna é o que nós algarvios chamamos a pão, torrado ou cru, molhado no azeite. O azeite é parte integrante da nossa dieta alimentar quase desde sempre já que a oliveira adapta-se muito bem às nossas condições climatéricas e aos nossos solos mediterrâneos. Há zonas em que ao azeite num prato alguns juntam alho e sal mas a tiborna que a marafada está habituada consiste pura e simplesmente em deitar algum azeite num prato e molhar lá o pãozinho quente. Lembra-me bem dos tempos em que a minha avó cozia o pão no forno a lenha e mal o tirava de lá fazíamos umas tibornas. Hoje a tiborna é sobretudo feita para experimentar o azeite novo, ou seja, aquele acabado de vir do lagar.

 

E pronto espero que experimentem fazer isto em casa pois não é perigoso e vão ver que descobrem novos sabores na simplicidade de um bocado de pão molhado em azeite.


A louletana está: com água na boca
Cantiga: Ó rama, ó que linda rama, ó rama da oliveira :)
Rabiscado por Lígia Laginha às 07:47 link do post | Comentar | Marafações predilectas

pesquisar

 

Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
17
21
26
27
28
29
30

últimos comentários

  • Ora andava na net a pesquisar uma receita das noss...
  • Muito boa tarde.Gosto muito do seu trabalho.Hoje e...
  • Parabéns pelo artigo...Foi editado em 2010 pela Câ...
  • olá viva,adoro a alcofa redonda. Será k posso ter ...
  • Um dos meus bisavôs teve uma dessas indústrias de ...
  • Tão lindo, tudo caiado, branquinho ! Pena que est...
  • Cara Lígia,Tomei a liberdade de utilizar esta sua ...
  • Olá, procuro os proprietários da capela de Sta . C...
  • Muito bom blog ;))
  • tenho uma cataplana a estrear e vai começar por um...

As marafações passadas de validade