Sábado, 06.08.11

Manjares e Folclore juntos na Serra do Caldeirão

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Este fim-de-semana a Cortelha, localidade pertencente à freguesia louletana de Salir, recebe os afamados Manjares Serranos, aos quais surge associado o Festival de Folclore da Serra do Caldeirão.

 

Os mais genuínos manjares, aliados ao tradicional folclore nacional, é aquilo que se poderá encontrar na Cortelha nos dias 6 e 7 de Agosto. 

A aldeia da Cortelha, situada em pleno interior do Concelho de Loulé, conhecida pela arte de bem receber, reaviva a 6 e 7 de Agosto os mais genuínos sabores da cozinha típica serrana, com a realização dos deliciosos Manjares Serranos, que já vão na sua 11ª edição.

A Associação dos Amigos da Cortelha, organizadora do evento, pretende assim promover aquilo que de mais genuíno tem a sua localidade, conjugando-a, no mesmo fim-de-semana, com o também tradicional Festival de Folclore da Serra do Caldeirão, que na sua 8ª edição reunirá em palco grupos folclóricos representastes de várias regiões do país. 

Este duplo evento, que tem sido de sucesso em anos anteriores, dá a provar aos inúmeros forasteiros a tradicional orelha de porco, o chouriço e presunto caseiro, o galo guisado, borrego ou javali e as famosas papas de milho, acompanhados de vasta doçaria regional algarvia e da aguardente de medronho. 

Para além de se degustarem sabores por muitos já esquecidos, toda a envolvência da festa possibilita ainda reviver a vida, as tradições e os costumes das gentes originárias desta zona serrana do Algarve, bem ilustrados na acolhedora aldeia da Cortelha. 

A noite de Sábado estará entregue ao 8º Festival de Folclore da Serra do Caldeirão, onde para além do Grupo Etnográfico da serra do Caldeirão – Cortelha, poderemos apreciar o Grupo de Danças e Cantares Besclore de Lisboa, o Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito – Santarém, e o Rancho Folclórico “As Cerejeiras de Fetais” – Sobral Monte Agraço e o Antakya Belediyesi Folk Dance Group – Turquia, que certamente demonstrarão em palco as características mais genuínas da sua região. O Baile será abrilhantado pelo acordeonista Gonçalo Tardão. 

Domingo será dia de música tradicional com o Grupo “Cante Andarilho” e para terminar, o tradicional Baile Serrano abrilhantado por o Grupo Sons do Sul. 

Manjares e Folclore serão assim cabeças de cartaz numa iniciativa que ganha a cada ano novos públicos e que já conquistou o seu espaço no seio das iniciativas de cariz cultural promovidas na região. Será por certo um fim-de-semana de muita animação onde a Cortelha presenteará os inúmeros visitantes com um magnífico Festival de Sabores e Sonoridades. 

Os Manjares Serranos e o Festival de Folclore da Serra do Caldeirão têm entrada livre e são uma organização da Associação dos Amigos da Cortelha, com o apoio da Câmara Municipal de Loulé, da Junta de Freguesia de Salir, do Turismo do Algarve, do INATEL e da Escola Integrada de Salir.

Rabiscado por Lígia Laginha às 09:20 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Terça-feira, 28.06.11

Rancho Folclórico Infantil e Juvenil de Loulé

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

O folclore é sem dúvida uma marca predominante do Algarve. Desde cedo muitos optam por fazer parte de ranchos e começam a "balhar" o corridinho.

 

Criado em 1977, o Rancho Folclórico Infantil e Juvenil de Loulé interpreta danças e cantares do Concelho de Loulé, nomeadamente da zona serrana de Alte, a aldeia algarvia mais portuguesa, classificada nos primeiros lugares nos concursos das Aldeias Mais Portuguesas em 1938, data em que foram feitas as primeiras recolhas e se formou o Rancho-Mãe, considerado o mais genuíno do Algarve.

A idade dos seus componentes varia entre os 4 e os 12 anos. Dos 12 anos em diante formaram a tocata e o Coro. Os mais velhos fazem parte da Direcção do Rancho.

Utilizam como instrumentos os ferrinhos, o acordeão, a pandeireta e as castanholas.

Usam trajes típicos da zona serrana algarvia que em tempos antigos eram envergados em Festas, arraiais, casamentos e festas religiosas.

As danças mais características são o corridinho, o baile de roda mandado e os bailes de roda com a muito conhecida “Ti Anica de Loulé”.

O Rancho Folclórico Infantil de Loulé tem percorrido o País de Norte a Sul e algumas vezes deslocou-se a Espanha.

O fundador do Rancho Infantil de Loulé foi Fernando Correia Soares, agraciado este ano a título póstumo com a Medalha Municipal de Mérito - Grau Bronze. Natural da freguesia de Alte, Fernando Correia Soares após ter frequentado o Seminário, aos 22 anos, decidiu não prosseguir carreira eclesiástica e regressa à sua aldeia natal. 
Aí inicia funções na companhia de Seguros “O Alentejo”, cumpre o serviço militar e em 1952 ruma a Moçambique, onde permaneceu até 1975, desempenhando vários cargos na administração pública. No seu regresso vem viver para Loulé onde começa a participar na Comissão de Festas do Carnaval. 
Com currículo na área do Folclore, já que havia fundado um Rancho Folclórico em Moçambique, foi convidado para formar um Rancho Infantil em Loulé o qual surgiu em 1977. 

O Rancho Folclórico Infantil e Juvenil de Loulé foi orientado durante 32 anos por Fernando Soares. Em 1997, a Câmara Municipal de Loulé decidiu homenagear este grupo com a atribuição da Medalha Municipal de Mérito – grau prata.

 

Rabiscado por Lígia Laginha às 07:48 link do post | Comentar | Marafações predilectas

pesquisar

 

Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
17
21
26
27
28
29
30

últimos comentários

  • Ora andava na net a pesquisar uma receita das noss...
  • Muito boa tarde.Gosto muito do seu trabalho.Hoje e...
  • Parabéns pelo artigo...Foi editado em 2010 pela Câ...
  • olá viva,adoro a alcofa redonda. Será k posso ter ...
  • Um dos meus bisavôs teve uma dessas indústrias de ...
  • Tão lindo, tudo caiado, branquinho ! Pena que est...
  • Cara Lígia,Tomei a liberdade de utilizar esta sua ...
  • Olá, procuro os proprietários da capela de Sta . C...
  • Muito bom blog ;))
  • tenho uma cataplana a estrear e vai começar por um...

As marafações passadas de validade