Sexta-feira, 10.06.11

O Manel da Baracinha

 

 

Bom dia queridos visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje a marafada traz-vos mais uma figura típica de Loulé a par da carismática Maria das Bananas que já aqui foi falada.

Essa figura é o Manuel Tereza, vulgo Manel da Baracinha, que durante as décadas de 70 e 80 calcorreava a cidade louletana sempre com um molho de palma debaixo do braço e fazendo a baracinha (arte de entrelaçar a palma que também aqui já foi referida).

Mas não só pela "baracinha" era o Manel conhecido, ele era também um exímio tocador de sinos tendo a seu cargo o Campanário da Igreja de São Francisco. O Manel estava encarregado de tocar tanto para baptizados, casamentos, funerais , missas e outras cerimónias que ao longo do ano decorriam na igreja. Para todas estas ocasiões o toque dos sinos era diferente.

E pronto, nada mais posso dizer sobre o Manel pois há sempre um certo mistério que envolve estas figuras cujas datas extremas se desconhecem, assim como o local onde jazem os seus restos mortais.

 

Nota:

 

1. A fotografia apresentada data de 1961 e foi capturada na Av. José da Costa Mealha.

Rabiscado por Lígia Laginha às 06:03 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Segunda-feira, 30.05.11

A Maria das Bananas

 

 

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Como sabem todas as terras que se prezem têm as suas figuras "típicas", ou melhor, atípicas e que sobressaem exactamente pela sua singularidade. Certo é que estas perduram na memória de quem as conheceu e em muitos casos tidas como “loucas” são as mais castiças da época e do local de que fizeram parte.

 

Uma dessas figuras foi a chamada Maria das Bananas.

Mulher destemida que calcorreava a então vila de Loulé nas décadas de 70 e 80. Apelidada de Maria das Bananas por ter tido uma banca de fruta no Mercado Municipal de Loulé, vulgo Praça, era dona de um buço expressivo e metia medo aos mais audazes.

Muitos acreditavam que a Maria das Bananas era possuída por espíritos na medida em que sempre vociferando pelas ruas louletanas umas vezes o fazia com uma voz aguda, outras com uma voz grave quase masculina.

A Maria das Bananas destacava-se também pela forma garrida com que se vestia, sendo que o vermelho predominava nas suas indumentárias exuberantes. Quase sempre com o cigarro na boca ou na mão não passava despercebida a quem quer que fosse.

Não sei ao certo quando faleceu a Maria das Bananas mas já foi há alguns anos. Ainda esteve algum tempo num lar antes de partir. Morou numa rua perto das Bicas Velhas e pouco mais posso dizer.

Fica uma fotografia que por acaso encontrei na net para testemunhar as poucas palavras que escrevi sobre esta mulher que ficará para sempre guardada algures na memória dos louletanos.

 

Rabiscado por Lígia Laginha às 07:09 link do post | Comentar | Ver comentários (1) | Marafações predilectas

pesquisar

 

Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
17
21
26
27
28
29
30

últimos comentários

  • Ora andava na net a pesquisar uma receita das noss...
  • Muito boa tarde.Gosto muito do seu trabalho.Hoje e...
  • Parabéns pelo artigo...Foi editado em 2010 pela Câ...
  • olá viva,adoro a alcofa redonda. Será k posso ter ...
  • Um dos meus bisavôs teve uma dessas indústrias de ...
  • Tão lindo, tudo caiado, branquinho ! Pena que est...
  • Cara Lígia,Tomei a liberdade de utilizar esta sua ...
  • Olá, procuro os proprietários da capela de Sta . C...
  • Muito bom blog ;))
  • tenho uma cataplana a estrear e vai começar por um...

mais comentados

As marafações passadas de validade