Quinta-feira, 02.06.11

A Festa da Espiga e o Dia do Município de Loulé

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje é Dia do Município de Loulé, feriado municipal e a 44.ª edição da Festa da Espiga em Salir.

 

E o que é a Festa da Espiga?

 

"Segundo o calendário litúrgico, na Quinta-Feira da Ascensão comemora-se a ascensão de Jesus Cristo ao Céu, encerrando um ciclo de quarenta dias após a Páscoa. Mas neste dia celebra-se igualmente o Dia da Espiga ou Quinta-Feira da Espiga. Sobretudo no Sul do País é tradição as pessoas irem para os campos apanhar a espiga de trigo e outras flores silvestres, fazendo ramos simbólicos da fecundidade da terra e da alegria de viver; algumas espigas, geralmente de trigo, simbolizam a abundância, as papoilas, rosas, margaridas e malmequeres a beleza e o ramo de oliveira a paz. Este ramo, em número de combinações variáveis conforme as localidades, pendura-se dentro de casa e aí se conserva durante um ano, até ser substituído pela “espiga” do ano seguinte.

Crê-se que este costume tenha as suas raízes num antigo ritual cristão que consistia na bênção dos primeiros frutos, mas as suas características fazem-no adivinhar origens mais remotas, muito provavelmente em antigas tradições pagãs associadas às festas em honra da deusa Flora que ocorriam por esta altura.

Salir, uma das mais típicas freguesias rurais do concelho de Loulé, faz da Festa da Espiga um dos principais cartazes turísticos e etnográficos da região algarvia.

A Festa Espiga em Salir teve início no dia 23 de Maio de 1968, organizada pela Junta de Freguesia, mais propriamente pelo presidente de então, José Viegas Gregório, figura carismática e um grande impulsionador da sua terra natal. O sucesso da primeira edição, à qual presidiram o Governador Civil de Faro, Romão Duarte, e o presidente da Câmara Municipal de Loulé da altura, Eduardo Pinto, ultrapassou todas as expectativas da organização.

Desde então, Salir tem feito do Dia da Espiga um grande acontecimento regional, recebendo milhares de forasteiros que aqui se deslocam para apreciar o artesanato, a gastronomia, o folclore, a etnografia, a poesia e tudo o que há de mais genuíno no interior rural do Algarve. A importância que este evento alcançou como cartaz turístico do interior algarvio foi tal que a Câmara Municipal de Loulé mudou para este dia o seu feriado municipal.

Em Salir o Dia da Espiga, que de certa forma marca o início da época das colheitas, assume uma importância especial, uma vez que se aproveita esta data para levar até ao grande público as manifestações tradicionais mais características desta freguesia rural. Os intervenientes neste espectáculo ímpar no país preparam com certa antecedência os seus carros e durante o desfile vão oferecendo alguns dos produtos que transportam.

O cortejo etnográfico que desfila ao longo da principal rua da vila representa toda a actividade agrícola e artesanal da freguesia, em parte que se encontra em vias de extinção, desde as sementeiras, mondas, ceifas, debulhas, fabricação de pão, apanha do medronho e destilação, apicultura e extracção de cortiça, o varejo do figo, amêndoa e alfarroba, artesanato de linho, lã, palma, esparto, cestaria de verga. Tudo “ao vivo e a cores”.

Para além disso há ainda a exibição de poetas populares declamando os seus poemas feitos de improviso e uma vasta exposição de maquinaria agrícola das diversas marcas existentes no mercado.

À festa não faltam os grupos folclóricos com as suas danças e cantares, nomeadamente o Rancho Folclórico Infantil de Loulé e o Rancho Folclórico As Mondadeiras das Barrosas, a banda filarmónica e o fogo de artifício.

Uma das particularidades da Festa da Espiga é que a população tem ainda a possibilidade de deixar uma mensagem, em forma de poema ou quadra preparada ou apenas de improviso, às entidades governativas presentes, para pedir ou agradecer as obras feitas na terra. Aliás, os executivos da Câmara Municipal de Loulé aproveitam este dia para inaugurar uma estrada, uma escola, uma obra de saneamento básico ou um equipamento de carácter social, contribuindo assim para abrilhantar ainda mais as festividades. Mas quando essas obras não se concretizam, as críticas em tom de brincadeira são lançadas aos responsáveis governativos do município e da região."

 

Embora se inicie no dia de hoje a Festa da Espiga ir-se-á prolongar até o dia 4 de Junho. Aqui fica o programa:

 

Quinta-Feira – Noite da Espiga

 

09:00h -  Passeio BTT

09:30h – Passeio Pedestre

13:00h – Abertura das Tasquinhas (Manjares e Petiscos Serranos)

14:00h – Exposições de Produtos Regionais 

15:30h – Desfile Etnográfico

18:30h – Actuação dos Grupos;

Rancho Folclórico “As Mondadeiras das Barrosas”

Grupo Etnográfico da Serra do Caldeirão – Cortelha

20:00h – Actuação do Grupo “…E Viva a Música!”

22:00h – Actuação do Grupo MADRAGOA

23:30h – Actuação de JOÃO PAULO CAVACO

 

 

 

Sexta-feira – Noite Tradicional

 

14:30h – Tarde Sénior

15:00h – Peça de teatro “O Fado da Cássima e o Canto das Mouras”

16:30h – Baile Tradicional e Lanche

18:00h – Exposições de Produtos Regionais

19:00h – Abertura das Tasquinhas (Manjares e Petiscos Serranos)

20:00h – Actuação do Trio de Acordeonistas

22:00h – Actuação do Grupo CANTE ANDARILHO

23:00h – Baile Tradicional com a Banda “Vibrações”

01:00h – Actuação de GIL ROSA

 

 

Sábado – Noite Jovem

 

14:00h – Tarde das Espiguinhas (Animação e Muitas Outras Surpresas)

14:30h – Oficinas e Jogos Tradicionais

15:00h – Workshop de Salsa

16:00h – Lanche Infantil

16:30h – Desfile “Miss e Mister Espiguinha”

17:45h – Actuação do Rancho Folclórico Infantil de Faro

18:15h – Peça de Teatro “Migalhas e Outras Histórias”

18:45h – Exposições de Produtos Regionais

19:00h - Aberturas das Tasquinhas (Manjares e Petiscos Serranos)

19:30h – Actuação de Ying & Yang

21:30h – Baile tradicional com Gonçalo Tardão

23:30h – Actuação do Grupo OLIVETREEDANCE

01:00h – Actuação do Grupo STEPLINE PROJECT

 

Quanto às Comemorações do Dia do Município aqui fica também o programa:

 

09:00 – Alvorada com foguetes

09:30 – Hastear da Bandeira ao som do Hino Nacional Banda Filarmónica Artistas de Minerva

 Frente aos Paços do Concelho

10:45 – Cerimónia de Escritura de Casa do Bairro ExCar Loulé

Assembleia Municipal

11:00 - Cerimónia de agraciados do Município de Loulé

 Salão Nobre dos Paços do Concelho

12:00 – Apresentação do Livro "Loulé. Uma Galeria de Retratos" de António Homem Cardoso

            Alcaidaria do Castelo

15:00 – Festa da Espiga

 Salir

22:00 – Peça de Teatro “Um beijo… mais um beijo…outro beijo”

   Teatro Delle Briciole

Apoios: ALGARVE 21 / QREN / FEDER

 

Nota:

 

1. E pronto hoje é mais um dia de Festa rija na nossa santa terrinha. Bem hajam todos os visitantes, forasteiros ou conterrâneos. 

 

2. Vão apanhar a espiga!

Rabiscado por Lígia Laginha às 07:17 link do post | Comentar | Marafações predilectas
Sexta-feira, 13.05.11

Ilustres Louletanos (VI) - José Viegas Gregório

 

 

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Numa altura em que se aproxima o feriado municipal, este ano celebrado a 2 de Junho, e com ele a Festa da Espiga, festividade conhecida e aclamada por todos os louletanos que se prezam, este singelo blog decidiu fazer uma justa homenagem ao criador da referida festa, José Viegas Gregório.

 

José Viegas Gregório nasceu em Salir no ano de 1915. Iniciou a sua actividade no comércio e passados alguns anos dedicou-se à agricultura.

Em 1952 iniciou a sua actividade pública, assumindo o cargo de Secretário da Junta de Freguesia de Salir. Seis anos depois foi eleito presidente da mesma Junta, funções que exerceu até Setembro de 1974. Regressaria à presidência da Junta de Freguesia nas eleições de 1982, mandato que cumpriu até 1985.

Uma das suas grandes paixões era o coleccionismo de tudo quando pudesse de alguma forma estar ligado a Salir. Daí o vasto acervo que deixou e que inclui diversos vestígios históricos, jornais e documentação da mais variada que inclui cartazes, programas de festividades realizadas em Salir e um vasto espólio fotográfico. Durante 43 anos foi correspondente do jornal “O Século” e colaborou em diversos jornais locais e regionais.

Contudo, José Viegas Gregório será sempre lembrado sobretudo pela criação da chamada Festa da Espiga, realizada em Salir, por sua iniciativa, desde 1968. A importância que este evento alcançou, desde o inicio, como cartaz turístico do interior algarvio foi tal que a Câmara Municipal mudou para este dia o seu feriado municipal.

Em 1991 foi alvo de uma homenagem pública promovida pela Junta de Freguesia de Salir tendo sido atribuído na altura o seu nome a uma das principais artérias da referida Freguesia.

Em 1993 foi agraciado pela Câmara Municipal de Loulé com a Medalha Municipal de Mérito Grau Bronze.

Em 2005 foi inaugurada, em Salir, a Biblioteca José Viegas Gregório.

José Viegas Gregório faleceu a 13 de Outubro de 2007.

 

Nota:

 

1. Oportunamente a marafada voltará a falar na Festa da Espiga e no seu criador.

A louletana está:
Cantiga: Tia Anica, mana Anica
Rabiscado por Lígia Laginha às 07:34 link do post | Comentar | Marafações predilectas

pesquisar

 

Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
17
21
26
27
28
29
30

últimos comentários

  • Ora andava na net a pesquisar uma receita das noss...
  • Muito boa tarde.Gosto muito do seu trabalho.Hoje e...
  • Parabéns pelo artigo...Foi editado em 2010 pela Câ...
  • olá viva,adoro a alcofa redonda. Será k posso ter ...
  • Um dos meus bisavôs teve uma dessas indústrias de ...
  • Tão lindo, tudo caiado, branquinho ! Pena que est...
  • Cara Lígia,Tomei a liberdade de utilizar esta sua ...
  • Olá, procuro os proprietários da capela de Sta . C...
  • Muito bom blog ;))
  • tenho uma cataplana a estrear e vai começar por um...

As marafações passadas de validade