Ainda os figos

 

Bom dia caros visitantes do "Marafações de uma Louletana".

 

Hoje voltamos a falar de figos. No Algarve não há Verão sem eles e os figos são um dos componentes mais emblemáticos da nossa gastronomia.

 

O figo algarvio sempre teve grande nome, principalmente seco.

 

Os figos poderão dividir-se em dois grandes grupos, os brancos e os pretos ou “pintos”. 

 

Comem-se frescos ou secos e com eles fabrica-se também aguardente.

O primeiro figo a aparecer é o lampo sendo a primeira camada pelo São João e só se come fresco. Em meados de Agosto amadurecem os que se conservam pela secagem.

Reconhece-se o momento em que se devem colher pela inclinação que toma o fruto pois que o figo que até então se mantinha numa posição sensivelmente horizontal, inclina-se quando está maduro.

A figueira é uma árvore que pouco sofre com as variações atmosféricas, mas o seu fruto pode ser destruído pelas chuvas. Por outro lado, requer algum cuidado, sendo indispensável a cava para a sua manutenção. Reproduz-se por estaca e enxertia de borbulha.

A apanha do figo efectua-se de meados de Agosto a meados de Setembro, o que corresponde à da amêndoa e da alfarroba. Varejam-se igualmente com canas e põem-se ao sol a secar em esteiras também de cana.

 

Os figos secos acamam-se numa canastra e entre as várias camadas põe-se funcho e ervas doces. Sobre a última assenta pesada pedra para que os figos fiquem bem acamados e não se estraguem.

 

Outros são torrados sem ou com recheio de amêndoa.

 

E pronto... Eis um pouco mais sobre essa delícia que são os figos.

tags: ,
Rabiscado por Lígia Laginha às 11:12 link do post | Comentar | Marafações predilectas